Sinalização de preços ainda é incerta para 2017, avalia CPFL Energia

Indefinição se o governo utilizará CVaR ou SAR como mecanismo de aversão ao risco gera dúvidas quanto as projeções de preços para ano que vem

A CPFL Energia adotou uma posição mais defensiva em relação aos preços de energia para o ano que vem em decorrência das incertezas regulatórias referentes ao método de aversão ao risco que será adotado a partir de 2017. Segundo avaliação da empresa, ainda não se saber se será utilizado o CVaR ou SAR e a depender do cenário, pode mudar o sinal de preços para o mercado no ano que vem.

“Já se fala de entrada parcial de métodos de aversão ao risco… fica difícil avaliar a formação de preços para o ano que vem, por isso decidimos por zerar nossa exposição ao preço no mercado spot em função das incertezas que existem atualmente”, comentou o diretor Financeiro e de Relações com Investidores da CPFL Energia, Gustavo Estrella.

A expectativa de mercado era de que o preço pudesse chegar já neste ano a R$ 200/MWh e que elevasse o sinal para a bandeira amarela, fato que não deverá ocorrer, mesmo com a revisão de carga. Mas, o cenário de chuvas até pouco acima da média histórica no Sul e no Sudeste ajudou a reduzir essas projeções, mesmo com a situação mais preocupante vista no Norte e Nordeste do país.