Tarifas da Light terão aumento médio de 10,45%

Índice é resultante da quarta revisão tarifaria da empresa, que foi antecipada com a adesão às novas cláusulas do contrato de concessão

As tarifas da Light terão aumento médio de 10,45%, com efeito médio de 11,89% para os consumidores atendidos em alta tensão e de 9,81% no segmento de baixa tensão. O índice é resultante da quarta revisão tarifária da distribuidora, antecipada de 2019 para este ano, após a adesão voluntária da empresa às novas cláusulas de qualidade e econômico-financeira dos contratos de distribuição. Os índices serão aplicados a partir de 15 de março.

Entre os itens que influenciaram o resultado da revisão está a redução de 2,86% nos encargos setoriais, resultante principalmente da devolução às tarifas do custo da receita fixa de Angra 3, incluído indevidamente na tarifa do ano passado no Encargo de Energia de Reserva. Segundo a Aneel, essa devolução contribuiu para redução no valor dos encargos de 1,04%.

O custo de transmissão teve alta de 4,2%, em consequência do pagamento, a partir de 2017, das indenizações da transmissão da Rede Básica existente em maio de 2000. Os gastos com aquisição de energia cresceram 1,43%.

A Aneel também aprovou os limites dos indicadores de qualidade DEC e FEC – que medem a duração e a frequência das interrupções no fornecimento de energia por conjunto de consumidores – para o período de 2018 a 2022. A Light atende 3,9 milhões de unidades consumidoras localizadas na capital e em 31 municípios do Rio de Janeiro.