Presidente da ANA defende revisão das regras de operação dos reservatórios

Para Vicente Andreu, outros fatores além da produção de energia precisam ser considerados

O presidente da Agência Nacional de Águas, Vicente Andreu, defendeu uma revisão das regras de operação dos reservatórios hidrelétricos no Brasil, de tal modo que haja um equilíbrio entre o atendimento elétrico e hídrico. Para ele, a situação crítica em que se encontram os reservatórios no Nordeste é, em parte, resultante das condições regulatórias que disciplinam a operação do setor elétrico.

“A questão principal é que precisamos integrar a operação energética nacional com as condições específicas de cada bacia”, disse. “O que pretendemos fazer é uma combinação do olhar energético com o olhar específico de cada bacia, de tal maneira que você possa compatibilizar e garantir a necessária segurança energética para todos aumentando a segurança hídrica.”

Ele informou que já foi criado um grupo de trabalho para discutir o assunto com órgãos do setor elétrico e do setor hídrico. Segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico, a soma dos reservatórios do Nordeste está em 33,35%. “A situação se encontra com algum controle, numa perspectiva mais positiva do que a do período anterior, mais ainda requer muita atenção”, disse Andreu, que conversou com a Agência CanalEnergia durante a 13º Cultivando Água Boa, em Foz do Iguaçu (PR).

*O repórter viajou a convite da Itaipu Binacional