Carga nacional de energia cai 3,3% em outubro

Fraco desempenho da indústria e a elevação das tarifas seguem impactando o consumo elétrico do país

O Sistema Interligado Nacional registrou em outubro carga de 64.937 MW médios, queda de 3,3% na comparação com outubro de 2014. No acumulado dos últimos 12 meses, o SIN apresentou uma variação negativa de 1,2% em relação ao mesmo período anterior. O fraco desempenho da indústria e a elevação das tarifas de energia elétrica seguem impactando o consumo elétrico do país, informou o Operador Nacional do Sistema Elétrico, em boletim preliminar divulgado nesta quinta-feira, 5 de novembro.

No subsistema Sudeste/Centro-Oeste, a carga em outubro somou 38.241 MW médios, decréscimo de 4,6% na comparação com o mesmo mês do ano anterior. No acumulado dos últimos 12 meses, o SE/CO apresentou variação negativa de 2,8% em relação ao mesmo período anterior. Segundo o ONS, a variação negativa nesse submercado é explicada, principalmente, pelo "modesto" desempenho da indústria. "Apesar do menor número de dias úteis ter colaborado negativamente para o desempenho da carga, a ocorrência de temperaturas elevadas, superiores às observadas no mesmo mês do ano anterior, impactou positivamente a carga desses subsistemas, neutralizando assim, o efeito calendário", explica o operador. 

No subsistema Sul, a carga em outubro somou 10.532 MW médios, decréscimo de 8,8% na comparação com o mesmo mês do ano anterior. No acumulado dos últimos 12 meses, o Sul apresentou uma variação negativa de 0,8% em relação ao mesmo período anterior. A variação negativa nesse subsistema é explicada pela ocorrência de temperaturas abaixo da média para o período e de chuvas intensas especialmente no Rio Grande do Sul e Santa Catarina, ocasionando desligamentos na rede de distribuição. Além disso, também contribuiu para esse resultado o cenário econômico atual e a redução do consumo de energia decorrente do aumento das tarifas de energia elétrica.

No subsistema Nordeste, a carga em outubro somou 10.574 MW médios, crescimento 1,8% na comparação com o mesmo mês do ano anterior. No acumulado dos últimos 12 meses, o Nordeste apresentou um crescimento de 3,6% em relação ao mesmo período anterior. O ONS explica que o consumo de energia nesse subsistema vem sofrendo menor impacto da conjuntura econômica do país e da elevação das tarifas de energia do que nos subsistemas Sudeste/Centro-Oeste e Sul, entretanto, a taxa de crescimento da carga verificada neste mês é inferior àquelas observadas ao longo do primeiro semestre do ano.

No subsistema Norte, a carga em outubro somou 5.591 MW médios, um incremento de 9,1% na comparação com o mesmo mês do ano anterior. No acumulado dos últimos 12 meses, o Norte apresentou uma variação positiva de 0,3% em relação ao mesmo período anterior. De acordo com o ONS, a taxa de crescimento desse subsistema está influenciada pela interligação do sistema Macapá, que, a partir de outubro, encontra-se totalmente interligado ao SIN. "Apesar disso, merece destaque, a ocorrência de temperaturas superiores à média histórica, durante o mês de outubro/15, principalmente nas cidades de Manaus e Belém", informa o operador.