Comitiva brasileira para Rússia inicia conversas para cooperação na área nuclear

Extensão da vida útil de usinas nucleares e acordo entre Nuclebrás e Rosatom

O Brasil e a Rússia poderão intensificar a cooperação científica e tecnológica na área de energia elétrica, com atenção especial na área nuclear, informou na última quinta-feira, 17 de setembro, o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, no encerramento da viagem à Rússia e à Polônia, como integrante da comitiva chefiada pelo vice-presidente da República, Michel Temer.

De acordo com o ministro, o núcleo do interesse estava em Ciência e Tecnologia e pesquisa. Braga esteve em contato com um instituto de tecnologia nuclear, para a extensão de vida útil das usinas nucleares por mais 60 anos. Ele também falou sobre novos projetos e disse que houve interesse da parte deles. O ministro vislumbrou também possibilidade de incremento econômico entre empresas dos dois países, além da cooperação tecnológica. 

A viagem, iniciada no último sábado, 12 de setembro, começou na Rússia, onde a Comitiva manteve atividades até a quarta-feira. Por lá, confirmou-se o interesse dos dois governos em impulsionar acordos em energia nuclear para fins pacíficos. A Nuclebrás Equipamentos Pesados S.A. e a Rosatom América Latina assinaram memorando de entendimento. A ideia é estimular o intercâmbio para explorar oportunidades de negócio, como a construção do reator nuclear multipropósito brasileiro.

Na última quinta-feira, 17 de setembro, as atividades oficiais ocorreram na Polônia, com encontro com a primeira-ministra do país, Ewa Kopacz, e com autoridades e empresários. As possibilidades de negócios também são reais na área de energia, segundo  Braga, que considerou o Brasil um porto seguro para investimentos poloneses. A comitiva chegou ao Brasil nesta sexta-feira 18 de setembro.