Lucro líquido gerencial da CPFL soma R$ 264 milhões no 2º trimestre

No padrão contábil IFRS os resultados são menores, queda de 37,9% para R$ 90 milhões entre os meses de abril e junho de 2015

A CPFL Energia reportou um lucro líquido gerencial de R$ 264 milhões no segundo trimestre do ano. Esse valor representa um aumento de 3,5% na comparação com o mesmo período do ano passado. O resultado gerencial, explicou a CPFL, considera os ativos e passivos financeiros regulatórios, que não eram contabilizados no ano passsado, e ainda, desconsidera itens não recorrentes e consolida de forma proporcional os ativos de geração do grupo.

A geração de caixa medida pelo Ebitda (antes de juros, impostos, depreciação e amortização), também na modelagem gerencial, recuou 2,1% nessa mesma base de comparação, para R$ 884 milhões. O impacto negativo foi gerado pelo aumento de 0,1% nas despesas com pessoal, material e serviços.
Nesse período a receita líquida da CPFL, excluindo a de construção, aumentou 32%, para R$ 4,8 bilhões. Essa elevação deve-se, justamente, à contabilização dos ativos financeiros setoriais, da liquidação das sobras de energia no mercado de curto prazo e do aumento das tarifas de energia das oito distribuidoras do grupo.
Em termos de resultado no padrão IFRS, a CPFL apurou um crescimento de 32,7% na receita líquida, passando a R$ 4,9 bilhões. Já o ebitda nesse mesmo padrão contábil recuou 10,2%, para R$ 692 milhões em decorrência dos impactos negativos do déficit de geração hídrica e despesas com ações judiciais. O lucro liquido do grupo em IFRS teve queda de 37,9%, para R$ 90 milhões.
O consumo de energia nas áreas de concessão da empresa recuou 2,9% no trimestre, passou de 14.621 GWh para 14.191 GWh. As vendas no mercado cativo recuaram 2,4% e o volume faturado da TUSD para os consumidores livres recuou 4,2%. A demanda da classe comercial aumentou 0,6%, no segmento residencial caiu 1,5% e no industrial 5,4% de redução, consequência da desaceleração da economia brasileira.
Os investimentos da empresa no trimestre somaram R$ 382 milhões, um aumento de 36,4%em relação ao mesmo período do ano passado. Desse total, R$ 245 milhões foram destinado ao segmento de distribuição, R$ 130 milhões para geração e R$ 7 milhões para comercialização e serviços.