Weg tem lucro de R$ 260,8 milhões no segundo trimestre

Lucro no semestre chega a R$ 506,7 milhões. Negócios na área de GTD continuam com tendência de crescimento

A WEG terminou o segundo trimestre de 2015 com lucro líquido de R$ 260,8 milhões, crescendo 14,4% na comparação com o mesmo período do ano passado. A empresa divulgou nesta quarta-feira, 29 de julho, seus resultados financeiros. A receita líquida de vendas ficou em R$ 2,34 bilhões, 29% maior que o do segundo trimestre de 2014. O Ebitda da WEG chegou a R$ 352,1 milhões neste trimestre, subindo 13%. Os investimentos no trimestre fora de R$ 94 milhões.

No semestre, o lucro da fabricante de equipamentos chegou a R$ 506,7 milhões, 17,1% superior ao do primeiro semestre do ano passado, de R$ 432,8 milhões. A receita líquida de vendas nos seis primeiros meses do ano subiu 24,3%, ficando em R$ 4,4 bilhões. Já o Ebitda do semestre é de R$ 700,5 milhões. O resultado é superior aos R$ 611,1 milhões alcançados no mesmo período de 2014.  No semestre, a WEG investiu R$ 202,5 milhões, sendo 59% nas unidades do Brasil e 41% em projetos de expansão no exterior

De acordo com a empresa, foi mantida a tendência do trimestre anterior o crescimento no segmento de equipamentos para geração, transmissão e distribuição de energia, principalmente em geração eólica, que compensou o recuo do investimento industrial na expansão de capacidade e do consumo. Por área de negócio, a receita líquida de GTD ficou  responsável por 29% no trimestre, 3,8% a mais que os 25,2% do segundo trimestre de 2014.

A fabricante também frisa a melhoria nas condições de venda de energia nos leilões regulados, trazendo impactos sobre a demanda e a atratividade para a fontes renováveis. Ela também ressalta o lançamento de um novo sistema de geração eólica, com forte impacto sobre a taxa de crescimento da receita ao longo do primeiro semestre de 2015. Em transmissão e distribuição as condições da demanda no Brasil mostraram algum arrefecimento em função da menor atividade econômica. A empresa tem perspectivas positivas para o resto do ano, com a execução da carteira de pedidos atuais e a perspectiva de conquista de novos negócios com a realização de leilões de energia.