ANA estende redução nas vazões de Sobradinho e Xingó

Solicitada pelo ONS, diminuição busca preservar volume de água nos reservatórios

A Agência Nacional de Águas prorrogou até o dia 30 de junho a redução temporária da descarga mínima defluente dos reservatórios de Sobradinho e Xingó, no Rio São Francisco. O volume cairá de 1.300 m³/s para 1.100 m³/s, e para 1.000 m³/s nos períodos de carga leve, que se referem aos dias úteis e sábados entre 0h e 7h e durante todo o dia nos domingos e feriados. A redução da vazão foi solicitada à ANA pelo Operador Nacional de Sistema Elétrico, com o intuito de conservar o volume de água nos reservatórios.

O despacho estende o prazo anterior para diminuição da vazão mínima defluente, que era até 31 de maio. Para controle das defluências de Sobradinho e Xingó, serão levadas em consideração respectivamente os dados das estações fluviométricas de Luiz Gonzaga e Moxotó, ambas no Recife. A Chesf deverá se articular com a Marinha do Brasil para garantir a segurança da navegação no trecho do rio São Francisco de Sobradinho até a foz. A redução considera a relevância dos reservatórios de Sobradinho, Itaparica, Apolônio Sales, Complexo de Paulo Afonso e Xingó para a produção de energia do Sistema Nordeste e para o atendimento dos diversos usos da água na bacia. A medida se deve, ainda, a escassez de chuvas na bacia do São Francisco nos últimos anos. Desde a Resolução ANA nº 442, de 8 de abril de 2013, vigora o patamar mínimo de 1.100m³/s.

Segundo as resoluções da ANA, a Chesf está sujeita à fiscalização da agência. Ela também deverá expor suas informações técnicas da operação aos usuários da bacia e ao Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco no período de redução das vazões mínimas defluentes. A Chesf deve, ainda, informar sobre as reduções da vazão a serem praticadas às cidades ribeirinhas do Baixo e Submédio São Francisco. As informações foram publicadas no Diário Oficial da União desta quinta-feira, 28 de maio.