CCEE: capacidade eólica no Brasil cresce 113% em 12 meses

Entrada em operação de projetos vencedores de leilões em 2009 e 2010 impulsionaram marca

A capacidade instalada das usinas eólicas em operação no Brasil teve um aumento de 113% nos últimos 12 meses, passando de 2.758 MW para 5.861 MW entre março de 2014 e o mesmo mês de 2015. Os dados prévios da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica apontam ainda que a geração de energia pelas usinas eólicas em março deste ano, cerca de 1.384 MW médios, representou montante 120% superior aos registros do mesmo período do ano passado.

O crescimento da capacidade eólica, de 3.103 MW, é explicado pela entrada em operação, ao longo do período, de usinas viabilizadas no 2º Leilão de Energia de Reserva, realizado em 2009, no 2º Leilão de Fontes Alternativas de 2010 e no 12º Leilão de Energia Nova de 2011, além de parques com entrega no Ambiente de Contratação Livre e do aumento na potência de empreendimentos existentes. Hoje, a matriz energética brasileira conta com 233 usinas eólicas em operação comercial, 121 a mais do que no ano anterior.

Dados do Conselho Global de Energia Eólica apontam o Brasil, ao lado de China, Alemanha e Estados Unidos na lista dos países com maior incremento na capacidade instalada de energia eólica no mundo em 2014.

A maior geração por estado, segundo a prévia de medição, foi a do Rio Grande do Norte, com o registro de 436 MW médios. Em seguida aparece a Bahia, com 332 MW médios; Rio Grande do Sul, com 283 MW médios e o Ceará, com 220 MW médios. Em capacidade instalada, o ranking também é liderado pelo Rio Grande do Norte, com 1.909 MW; Ceará, com 1.302 MW; Rio Grande do Sul, com 1.145 MW; Bahia, com 959 MW, e Santa Catarina, com 224 MW.

O aumento da capacidade instalada nos últimos 12 meses foi concentrado principalmente no Nordeste, com entrada de 2.555 MW em capacidade na região, que alcançou 4.453 MW instalados. O montante representa 75% da capacidade total de usinas eólicas do país.