Projeção de chuvas do ONS para final de abril tem pouca variação

No Sul, a expectativa de ENA voltou a subir e agora está em 113% da MLT

O Operador Nacional do Sistema Elétrico informou que a previsão de vazões para o final do mês em abril apresentou relativa estabilidade em comparação à semana passada. Segundo os dados preliminares que balizarão a revisão 4 do Programa Mensal de Operação a ser divulgado na sexta-feira, 23 de abril, apenas no Sul houve variação mais significativa. A região poderá chegar ao final do mês com energia natural afluente acima da média histórica. Enquanto na semana passada a projeção era de realização de 95% da MLT, agora a expectativa é mais otimista, é esperado 113% da média.

Nas demais regiões a expectativa está alinhada com a previsão da semana passada. No Norte caiu novamente de 83% para 82%, no Nordeste o indicador previsto recuou na mesma proporção passando de 56% para 55% da MLT. No maior submercado, o Sudeste/Centro-Oeste, que concentra cerca de 70% da capacidade de armazenamento do país a previsão manteve-se inalterada em 88% da MLT.
Agora, a expectativa de ENA nas usinas com maior participação em energia armazenada é de nova queda em comparação com os resultados da semana anterior. Para a UHE Sobradinho (BA, 1.050 MW) a previsão anterior que era de 59% da MLT caiu para 58% da média. Na UHE Tucuruí (PA, 8.370 MW) a projeção da semana passada caiu mais 1 ponto, passando para 83% da média histórica, ou, 10.871 MW médios. A UHE Furnas (MG, 1.216 MW) que na semana passada tinha previsão de 49% de ENA ganhou um suspiro com o aumento da previsão de afluência em 1 ponto porcentual.
Em termos semanais até 8 de maio a previsão do ONS é de que no SE/CO seja verificada ENA de 76% na semana operativa que começa no próximo sábado dia 25 de abril e de 94% na seguinte. No Sul a situação continua a melhor do país com vazões acima da média histórica. Na contramão, é no Nordeste que se espera o menor volume com 38% da MLT a partir de sábado e 59% da média na semana seguinte. No Norte a expectativa é de vazões de 79% e de 100% da MLT nesses períodos.