RS dá largada no licenciamento ambiental da UTE Rio Grande

Caso exigências sejam cumpridas, Licença de Instalação de térmica da Bolognesi pode ser emitida até o fim do ano

O cronograma de liberação da licença ambiental para a Planta de Gaseificação de GNL em Rio Grande foi estabelecido na última sexta-feira, 14 de julho, no Palácio Piratini, durante encontro do chefe da Casa Civil, Fábio Branco, com representantes do Grupo Bolognesi, responsável pela implantação da UTE Rio Grande. A secretaria do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e diretora-presidente da Fundação Estadual de Proteção Ambienta Ana Pellini, também participou do encontro.

A primeira etapa já acontece em 20 dias, e se toda as exigências legais forem cumpridas, a previsão é que até dezembro seja concedida a licença de instalação. A Casa Civil se comprometeu a dar apoio técnico-operacional e celeridade para a tramitação do processo na Fepam.

O terminal de regaseificação terá capacidade para 14 milhões de metros cúbicos por dia, podendo receber dois navios cargueiros por mês, e ficará situado ao lado do terminal da Petrobras. Haverá ainda um navio de estocagem e regaseificação de forma permanente. A estimativa é gerar mil empregos, podendo alcançar 2,5 mil postos de trabalho em períodos de pico, com investimentos de R$ 3,3 bilhões. Serão gerados 1.238 MW, a partir de gás natural, cerca de 30% da energia elétrica do Rio Grande do Sul.

Em junho de 2015, o projeto foi apresentado ao governador José Ivo Sartori. Na ocasião, Fábio Branco era secretário do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia e representou o governo nas negociações para implantação do empreendimento. De acordo com ele, a planta de gaseificação segue também com o reforço da Casa Civil para avançar nos aspectos legais e de licenciamento, para construir o desenvolvimento da Região Sul do estado.