Eletrosul testa operação de ativos via satélite

Medida tornará controle de subestações e usinas mais eficiente

A Eletrosul iniciou a fase de testes da tecnologia de comunicação via satélite na operação remota das subestações e usinas conectadas ao Sistema Interligado Nacional. O projeto tem por objetivo reforçar o sistema redundante de fibra óptica, que atualmente conta com outros três canais diferentes de conexão, aumentando a eficiência e a confiabilidade das atividades de supervisão, comando e controle. Nesta etapa experimental, estão sendo testados os satélites da Hughes Communications e da Telebras para a teleassistência em tempo real do Centro Regional de Operação de Instalação de Campos Novos (SC) e da Subestação Ivinhema (MS).

O período de testes terá duração de 60 dias. Após a conclusão da fase experimental, está prevista a expansão da teleassistência via satélite para os cinco Centros Regionais de Operação de Instalação, que são responsáveis pela gestão ininterrupta do sistema de transmissão da empresa. A supervisão desse processo é realizada pelo Centro de Operação da Transmissão, integrante do Centro de Operação do Sistema Eletrosul, que dispõe ainda do Centro de Operação da Geração e Centro de Operação de Telecomunicações. Durante esse período de testes, será observada a resiliência dos links fornecidos pelos dois provedores em relação às variações climáticas, em especial chuvas torrenciais. Serão analisados ainda os tempos de transmissão e recepção dos dados, assim como suas variações nos canais via satélite.

De acordo com o diretor de Operação da Eletrosul, Rogério Bonini Ruiz, a empresa é referência nacional em teleassistência na operação de ativos do setor elétrico, com sistemas ópticos, redundantes e de sua propriedade. Com a incorporação da tecnologia de comunicação via satélite, proporcionaremos maior robustez ao sistema de operação remota, eliminando os riscos de falhas na conexão com os ativos de transmissão da empresa”, destaca.

Com 11 mil km de linhas de transmissão, a empresa é responsável por aproximadamente 10% do sistema de transmissão do País. O sistema próprio da Eletrosul é constituído por 44 subestações e uma conversora de frequência. Também tem envolvimento em mais 55 subestações de propriedade de outras empresas, nas quais conta com equipamentos e bays instalados, ou presta serviços de manutenção e operação.

Na gestão dos ativos pertencentes à Rede Básica, a Eletrosul apresenta indicadores operacionais de transmissão superiores aos exigidos pelo Operador Nacional de Sistema. Além do desempenho operacional, a empresa registra um elevado índice de disponibilidade, mantendo a regularidade, a continuidade e a segurança na prestação do serviço de transmissão de energia elétrica.