Desligamento de linhão teve impacto em 22 estados do país

Problema em testes do primeiro bipolo de Belo Monte afetou diretamente 13 estados e o ERAC levou a rápidas quedas de energia em pelo menos outros 9 estados

O desligamento de cerca de 18 mil MW ocorrido na tarde desta quarta-feira, 21 de março, teve como origem a linha de transmissão de Belo Monte que está em operação em testes. Essa ocorrência levou ao corte de 22,5% da carga que era demandada naquele momento e afetou todos os estados das regiões Norte e Nordeste. O Operador Nacional do Sistema Elétrico teve que acionar o Esquema Regional de Alívio de Carga (ERAC) do Sistema Sul, Sudeste e Centro-Oeste, com corte automático de consumidores, no montante de 4.200 MW. Essas regiões acabaram sendo desconectadas do Norte e Nordeste.
A origem do problema foi confirmada pelo ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho que estava no Congresso Nacional. “Recebemos agora no início da tarde um comunicado do ONS que caiu uma linha do bipolo de Belo Monte e uma parte do NE e Norte ficou fora e a informação que eu tive chegando aqui ao Congresso é de que já começava a ser restabelecida [o fornecimento] em algumas áreas, mas eu não tenho a informação mais precisa, mas que foi uma interrupção em uma das linhas de Belo Monte”, apontou.
Mais cedo em sua conta do Twitter, o ex-presidente da Chesf, e atual deputado federal, José Carlos Aleluia (DEM/BA) e que também é o relator da do projeto de lei de privatização da Eletrobras, afirmou que foi justamente uma falha nos testes do primeiro bipolo do que conectará Belo Monte ao Sudeste que provocou o desligamento desta tarde. E ainda, que o sistema de alívio de carga também falhou, resultado nos 18 mil MW desligados.
O empreendimento em questão é de responsabilidade da Belo Monte Transmissora de Energia, uma SPE formada pela chinesa State Grid e a Eletrobras, com 51% e 49% do capital, respectivamente. A linha conecta a usina por meio da subestção Xingu à SE Estreito, no sul de Minas Gerais.
A concessionária confirmou em nota que houve um desligamento do bipolo 1 da BMTE quando o mesmo estava transmitindo 3.700 MW em processo de elevação da potência transmitida para o programado de 4.000 MW. Este desligamento, continuou a nota, está sob análise da área técnica da empresa. E que as informações preliminares indicam que a causa do desligamento foi o mal funcionamento da proteção do disjuntor da barra que interliga o pátio de 500 kV da Estação Conversora de Xingu ao pátio de 500 kV da Subestação que recebe as linhas de transmissão que trazem energia da usina.
Contudo, ressaltou que não houve qualquer defeito nas linhas de transmissão em corrente contínua nem nas duas estações conversoras de corrente alternada para contínua e vice-versa. O bipolo 1 foi desligado as 15h48 e após as verificações nos locais apropriados o bipolo foi disponibilizado ao sistema para operação as 16h11.

Gráfico do ONS mostra redução repentina da carga pouco depois das 15h45 desta quarta-feira

A Energisa, que distribui energia na Paraíba em estados no Centro-Oeste, disse em um perfil de rede social que o Ministério de Minas e Energia atribuiu a ocorrência a um teste realizado numa linha de transmissão da UHE Belo Monte, corroborando o que havia dito o ministro.
A Norte Energia, concessionária responsável pela UHE Belo Monte (PA, 11.233 MW) afirmou em breve resposta a questionamentos da reportagem da Agência CanalEnergia que “o apagão que atinge as regiões Norte e Nordeste do país não foi originado pela Usina de Belo Monte. Ao contrário do divulgado, a usina também foi afetada pela falha ocorrida”.
Distribuidoras
Diversas distribuidoras foram afetadas pelos desligamentos, tanto pela ocorrência em si quanto pelo ERAC a pedido do ONS. Entre os estados afetados, as informações são de que 21 foram atingidos em algum nível de intensidade. O apagão atuou no Norte e Nordeste afetando 13 estados diretamente, enquanto o ERAC atuou desligando cargas nas demais regiões do país. De acordo com o diretor geral do ONS, Luiz Eduardo Barata, os estados do Acre e Rondônia não foram afetados por serem atendidos pelas usinas do Madeira e Roraima por estar desconectado do SIN. Abaixo está o relato das empresas:
Celpe – Esclarecemos que Pernambuco e outros estados do Nordeste e do Norte foram atingidos por uma falta de energia. A causa ainda está sendo apurada. Estamos aguardando mais informações do Operador Nacional de Sistema para novas atualizações.
Enel – Informamos que uma interrupção no Sistema Interligado Nacional (SIN) está afetando o fornecimento de energia do Ceará. A companhia aguarda informações do Operador Nacional do Sistema e trabalha para normalizar o serviço o quanto antes. A Enel Distribuição Ceará já começou a reestabelecer a energia no Estado, na medida em que o ONS iniciou a normalização das cargas.  Na área de concessão da Enel Distribuição Rio, 13 municípios tiveram o fornecimento afetado por apenas 12 minutos. No Estado Goiás, a interrupção atingiu 11 municípios da área de concessão da Enel Distribuição Goiás, sendo que 80% dos clientes tiveram o serviço normalizado em menos de 10 minutos e o restante foi completamente restabelecido em até uma hora.
Energisa – Informamos que o problema técnico na Usina de Belo Monte, que suspendeu o abastecimento de energia para as regiões Norte, Nordeste e parte do Sudeste, foi causado por um teste realizado numa linha de transmissão que está sendo construída. As informações são do Ministério das Minas e Energia que comunicou também que o restabelecimento está sendo gradual. A Energisa está de prontidão para que, assim que o sistema for normalizado, o fornecimento nos estados afetados seja restabelecido o mais breve possível e em segurança.
Neoenergia  – A empresa confirmou desligamento total em PE (já citado acima), BA e RN e já houve normalização mais rápida na Elektro (SP/MS).
Light – Devido a um Esquema Regional de Alivio de Carga (ERAC), a Light desligou o fornecimento de energia para 321 mil clientes nas regiões de Jacarepaguá, Campo Grande, Penha, Inhaúma, Paracambi e Seropédica, às 15h51 de hoje. Às 15h54, o fornecimento de energia para os clientes impactados foi totalmente normalizado.
Celesc – A empresa informa que cerca de 175 mil unidades consumidoras em diversas regiões de Santa Catarina ficaram sem energia devido a uma ocorrência no SIN. Os municípios mais atingidos foram os que compõem as regionais de Joinville, Blumenau e Florianópolis. O evento, registrado às 15h48, provocou a abertura de 70 alimentadores do sistema da distribuidora catarinense devido a uma atuação na proteção do ERAC, que previne um apagão quando uma usina ou uma linha de transmissão de grande porte interrompem a geração ou a distribuição de energia. A ocorrência perdurou por aproximadamente 10 minutos, até que o ONS liberasse a Celesc para retornar a carga aos consumidores.
Eletropaulo – Após desligamento do SIN, a rede da Eletropaulo foi parcialmente afetada entre 15h48 e 15h55. Na área de concessão da companhia, as principais regiões impactadas foram Norte, Leste e parte do ABC.
CEB – A CEB Distribuição informa que a perturbação no SIN levou à atuação do ERAC. No Distrito quatro subestações foram desligadas automaticamente das 15h48 às 16h08. Foram elas a SE Planaltina – 37.398 unidades consumidoras, a SE Contagem que atende a 27.042 consumidores, SE Brazlândia com 15.819 unidades e a SE Gama responsável por 46.929 unidades.
Cemig – A Cemig informa que o sistema foi afetado, nesta tarde, pelo acionamento do ERAC do SIN provocando perda de carga e consequente interrupção parcial de energia elétrica, pelo período máximo de 15 minutos, em 31 cidades de sua área de concessão. O desligamento ocorreu às 15h48 e o restabelecimento se iniciou a partir da determinação do ONS, às 15h52. Dez minutos depois, praticamente todos os clientes já estavam com a energia restabelecida.
CPFL Energia – Às 15h48 desta quarta-feira (21/03), municípios das quatro distribuidoras do Grupo CPFL Energia – incluindo RGE – foram afetados por interrupção no fornecimento de energia elétrica devido uma perturbação no Sistema Interligado Nacional (SIN). a queda de energia foi pontual em seu sistema devido a atuação do Primeiro Estágio do ERAC, desligando aproximadamente 7% das cargas da distribuidora. A recomposição da energia aconteceu em poucos minutos e a normalização do sistema aconteceu até às 16h.
Copel – Para evitar colapso no SIN, houve alívio de carga em algumas localidades do Estado. Isto significa atuação do primeiro estágio do ERAC que atuou no Paraná as 15h48, e as 16h07 todos os consumidores já estavam com a energia elétrica restabelecida.