Leilão A-4: começa a disputa por contratos para 2022

EPE habilitou 1.672 projetos que somam 48,7 GW de capacidade instalada

O leilão de energia nova A-4 acabou de iniciar a disputa. O certame é realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica e operacionalizado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica via internet a partir de São Paulo. O objetivo é contratar energia proveniente de novos empreendimentos com início de suprimento em 1º de janeiro de 2022.
A perspectiva do governo é de que haja uma forte disputa entre os habilitados já que a expectativa é de que a demanda não seja tão elevada quanto o mercado deseja. E, sendo assim, a concorrência deve ser acirrada entre os postulantes aos CCEARs que serão fechados.
Disputam leilão empreendimentos das fontes hidrelétrica, eólica, solar fotovoltaica e termelétrica a biomassa. Os contratos são nas modalidades por disponibilidade com suprimento de 20 anos para os empreendimentos eólicos, fotovoltaicos e termelétricos, e por quantidade de energia para empreendimentos hidrelétricos, com prazo de suprimento de 30 anos.
A margem de escoamento de transmissão será utilizada como critério de classificação. Empreendimentos que entraram em operação comercial até a data de publicação do edital não poderão participar do certame. Os preços iniciais por empreendimento são: hidrelétrica a partir de R$ 291/MWh, para eólicas de R$ 255/MWh, para a solar de R$ 312/MWh e termicas a biomassa de R$ 329/MWh.
Para este leilão, a EPE cadastrou 1.672 projetos de 20 estados, totalizando 48.713 MW de potência instalada. Desse montante, 931 projetos referem-se a empreendimentos eólicos, 620 solares fotovoltaicos, 67 PCHs, 23 CGHs, três UHEs e 28 termelétricas a biomassa.