Saesa tem perspectiva para 2018 melhor que a de 2017

Para executivo, empresa já começa ano preparada para enfrentar desafios do setor

A expectativa da Santo Antônio Energia, que opera a UHE Santo Antônio (RO – 3.568 MW), é que o ano de 2018 seja melhor que o de 2017. Em conferência com analistas de mercado nesta quarta-feira, 4 de abril, o diretor de relações com investidores da empresa, Nilmar Foletto, lembrou que embora a hidrologia desse ano não sinalize melhora significativa, ainda assim ela será melhor que a de 2018. O executivo também ressaltou que em 2017 as soluções encontradas para mitigação de problemas como o GSF foram encontradas ao longo do ano, o que não acontecerá em 2018. “Ano passado, fomos trabalhando durante o ano. Esse ano já estamos preparados”, avisa.

A Saesa descontratou 350 MW med de julho a dezembro de 2017, que possibilitou uma mitigação de R$ 453,9 milhões. A repactuação do risco hidrológico possibilitou uma economia de R$ 651 milhões. Foletto também acredita que o mercado financeiro estará mais calmo em 2017, o que pode levar a juros menores. O executivo colocou as despesas financeiras, assim como a queda no Ebitda, como um dos responsáveis pelo prejuízo de R$ 1 bilhão que a Saesa teve em 2017. Ano passado, a usina hidrelétrica localizada no rio Madeira, em Rondônia, foi a terceira maior geradora do país, ficando atrás apenas de Itaipu e Tucuruí.