Pré-sal representa 54% da produção brasileira de petróleo e gás, afirma ANP

Produção de gás somou 107 milhões de m³ por dia, recuo de 2,6% em comparação ao mês anterior. Manutenções nas plataformas nos campos de Lula e Peroá/Cangoá explicam redução

A ANP divulgou na última quarta-feira, 2 de março, dados relativos a produção de março de 2018 no país. De acordo com a Agência, o pré-sal totalizou 1,745 milhão de boe/d, redução de 1% em relação ao mês anterior, respondendo por 54% do total produzido no Brasil. Foram produzidos 1,396 milhão de barris de petróleo por dia e 55 milhões de metros cúbicos diários de gás natural através de 83 poços.

Por sua vez, a produção de petróleo e gás do país foi de aproximadamente 3,23 milhões de barris de óleo equivalente por dia. Foram produzidos 2,557 milhões de barris de petróleo por dia (bbl/d), recuo de 2,3% na comparação com o mês anterior e aumento de 0,3% quando comparada com março de 2017. O decréscimo já era esperado pela Agência em virtude de paradas programadas de manutenções de equipamentos nas plataformas nos campos de Peregrino, na Bacia de Campos, e Lula, na Bacia de Santos.

Já a produção de gás natural somou 107 milhões de m³ por dia, diminuição de 2,6% em comparação ao mês anterior e crescimento de 5,6% se comparada com o mesmo mês de 2017. A redução ocorreu em função de paradas de manutenções nas plataformas nos campos de Lula, na Bacia de Santos, e Peroá/Cangoá, na Bacia do Espírito Santo.

O aproveitamento de gás natural no Brasil no mês alcançou 96,9% do volume total produzido, sendo disponibilizados ao mercado 57,2 milhões de metros cúbicos por dia. A queima de gás totalizou 3,3 milhões de metros cúbicos por dia, uma redução de 7,6% quando comparada ao mês anterior e de 4,1% em relação ao mesmo mês do ano passado.

Quanto aos campos produtores, Lula, na Bacia de Santos, foi o maior produtor de petróleo e gás natural, com média de 832 mil bbl/d de petróleo e 34,8 milhões de m3/d de gás.

As concessões marítimas produziram 95,5% do petróleo e 83,4% do gás natural em 7.584 poços, sendo 710 marítimos e 6.874 terrestres. Os campos operados pela Petrobras prospectaram 94,9% do petróleo e gás natural. Estreito, na Bacia Potiguar, teve o maior número de poços produtores: 1.079. E Marlim Sul, na Bacia de Campos, com o menor número de poços produtores: 97.

A FPSO Cidade de Maricá, produzindo no campo de Lula, foi a instalação com maior produção de petróleo, com 148,8 Mbbl/d através de 8 poços a ela interligados. Já a instalação Polo Arara, produzindo nos campos de Arara Azul, Araracanga, Carapanaúba, Cupiúba, rio Urucu e Sudoeste Urucu, por meio de 33 poços a ela interligados, gerou 7,8 MMm3/d e foi a instalação com maior produção de gás natural.