EDP Starter Brasil 2018 tem inscrições abertas

Programa de aceleração para startups oferece pacote completo de mentoria com executivos da Empresa e especialistas do mercado, além de serviços especializados; cadastro vai até 31 de maio

A segunda edição do EDP Starter Brasil já está com inscrições abertas para empreendedores de qualquer região do país. Interessados tem até 31 de maio para efetuar o cadastro no site do programa. As equipes escolhidas terão acesso a uma estrutura completa para suportar o desenvolvimento do seu negócio. Haverá consultoria especializada em inovação, mentoria de executivos da empresa e de especialistas do mercado, espaço de coworking no Wework e assessoria em diversas áreas de negócio, customizadas para as necessidades de cada empreendedor. Um dos principais diferenciais do programa é a possibilidade de investimento de até R$ 10 milhões em startups participantes.

Além da conquista de entrar no mercado de energia, as participantes passam a integrar a comunidade global do EDP Starter. Dentro do ecossistema, terão acesso a diversas oportunidades, como a possibilidade de desenvolvimento de projetos piloto financiados pela companhia, abertura a novos mercados, como a Europa, com mentoria internacional e participação em outras competições, entre elas o Seed Race e o EDP Open Innovation, além de um potencial investimento por meio da EDP Ventures, fundo de capital de risco do Grupo.

“Ao ingressarem no programa, as startups passam a fazer parte de uma comunidade global de apoio ao empreendedorismo. Atualmente, temos cinco empresas brasileiras em nosso portfólio, parte delas provenientes da última edição do EDP Starter, e estamos desenvolvendo projetos piloto com quatro delas, com resultados promissores”, ressaltou Lívia Brando, gestora de inovação da Companhia.

Nessa edição, o programa está em busca de novas ideias em seis temas estratégicos: Soluções com Foco no Cliente, Inovação Digital, Energias Renováveis, Armazenamento de Energia, Redes Inteligentes e Soluções de suporte para áreas que não são core business. Para exemplificar, algumas das principais soluções seriam nas áreas de Mobilidade Elétrica, Baterias, Analytics, Gestão de Energia, Modelos de Predição, Internet das Coisas, Realidade Aumentada, Inteligência Artificial, BlockChain, Meios de Pagamento, entre outras.

A iniciativa foi organizada em conjunto com a Tropos Lab, consultoria de inovação que participará diretamente do processo de seleção e desenvolvimento, com aplicação de metodologia própria, além de disponibilizar seus mentores especializados para auxiliar as equipes ao longo de todo o programa.

Quanto as etapas do Processo, após avaliação dos formulários de inscrição e das entrevistas, serão classificadas dez startups para participar de um Bootcamp de dois dias. Nesta primeira fase, os participantes terão um PitchFest para apresentarem suas ideias à EDP, e cinco empresas serão selecionados para continuar na próxima etapa.

As escolhidas passarão, então, por um processo de aceleração e desenvolvimento durante três meses. O programa contempla a validação do modelo de negócio, criação de proposta de projeto-piloto, validação da solução junto à EDP, além das mentorias especializadas para suportar o desenvolvimento dos modelos de negócio visando escala comercial.

O EDP Starter terá sua grande final em setembro, quando as startups se reunirão em um Demoday para demonstrar suas soluções e desenvolvimento obtido ao longo do programa a um público diverso, com executivos da EDP Ventures, investidores de mercado e parceiros de negócio. A equipe ganhadora terá a oportunidade de participar do WebSummit em Lisboa, um dos maiores eventos de tecnologia do mundo, além de poder conhecer o ecossistema europeu.

Os brasileiros são destaque na comunidade global de empreendedorismo do Grupo desde 2016, quando a cearense Delfos Intelligent Maintenance venceu o concurso EDP Open Innovation e levou 50 mil euros para investir na sua plataforma.

A partir da criação do Programa, em 2017, as oportunidades cresceram ainda mais para startups nacionais. Na primeira edição, cinco equipes de São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Minas Gerais foram escolhidas para o programa de aceleração e puderam alavancar seus negócios. Ao final, a mineira Enercred levou o primeiro lugar e viajou ao Vale do Silício em uma das missões da StartSe, uma das maiores plataformas de empreendedorismo do País.

Também vale destacar o reconhecimento da brasileira COSOL Condomínio Solar no EDP Open Innovation do ano passado. A empresa apresentou uma solução com blockchain e ficou entre as três ganhadoras da competição, podendo apresentar sua solução no WebSummit.