Expertise de Furnas economiza R$ 8 milhões em manutenção do Sistema HVDC em Itaipu

Engenheiros desenvolveram especificação técnica que possibilita compra de componentes a menor custo, via pregão eletrônico

No intuito de garantir a confiabilidade do Sistema de Transmissão da Energia de Itaipu em HVDC e otimizar as finanças, Furnas desenvolveu, por meio de seus engenheiros, uma especificação técnica ao longo de 34 anos de experiência da empresa à frente da manutenção dos circuitos de disparo do sistema HVDC, tecnologia de transmissão de energia em corrente contínua de alta tensão, que gerou economia de R$ 8 milhões.

A especificação permite a compra de componentes a menor custo, via pregão eletrônico e contou na ocasião com a aquisição e troca de 132 mil capacitores, que só foi possível graças ao conhecimento técnico dos profissionais. “Nossa equipe estudou as diversas tecnologias atualmente empregadas no projeto e fabricação de capacitores para aplicação em eletrônica de potência. A partir destes estudos, passou a elaborar as especificações necessárias para garantir a adequada manutenção do Sistema de HVDC de Furnas, responsável pelo escoamento de parte da energia da UHE Itaipu”, explicou Fernando Alves Ribeiro, gerente da Gerência de Equipamentos de Subestações de Furnas.

Coordenador do projeto, o engenheiro Gabriel Angelo de B. Vieira destacou a economia alcançada pela empresa, a partir do conhecimento técnico dos profissionais. “Tínhamos a opção de adquirir estes itens diretamente com o fabricante do sistema HVDC, por um valor mais elevado. Em vez disso, os profissionais de Furnas realizaram diversos ensaios em laboratório para desenvolver uma especificação técnica que nos deu segurança para adquirir esses equipamentos via pregão eletrônico. O resultado foi uma economia significativa para a companhia”, afirmou Gabriel Vieira.

Segundo a companhia, no primeiro contrato de fornecimento foram adquiridos 33 mil capacitores. A expectativa é que no final do processo de substituição de todos os capacitores, previsto para quatro anos, a economia total seja de R$ 32 milhões. O conversor mais antigo da SE Foz do Iguaçu, o CV01, foi o primeiro a receber estes novos componentes e os resultados operativos foram bem satisfatórios.