CCEE: PLD médio para 2018 sobe para R$ 282/ MWh no SE/CO

Valor pode chegar a R$ 470/ MWh no fim de julho

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica apresentou nesta segunda-feira, 28 de maio, na reunião do Info PLD, projeção que o PLD médio para 2018 foi revisto de R$ 195/MWh para R$ 282/MWh no Sudeste/Centro-Oeste, principal submercado do Sistema. O valor pode ir a R$ 470/MWh ao final de julho, quando a tendência é de nova redução. O preço nesta semana já teve uma forte subida no SE/CO, indo para R$ 402,29/ MWh, mostrando crescimento de 18%.

De acordo com Camila Giglio, da gerência de preços da CCEE, a presença de uma massa de ar seco, principalmente nas primeiras duas semanas de maio, impediu que houvesse precipitação mais expressiva, refletindo em afluências abaixo da média histórica para o mês, um dos fatores que impactam no aumento mais expressivo do PLD. Para junho, a previsão de afluências para o Sistema tem índices parecidos aos realizados em maio, com exceção ao Sul onde as ENAs devem ficar em 70% da média histórica, superior aos 41% do último mês. A previsão indica afluências mantidas em 79% da MLT no Sudeste, em 38% no Nordeste e em 77% no Norte.

Os índices abaixo da média, aliados ao fim período do úmido, resultaram em reduções dos níveis dos reservatórios do SIN, outro ponto de influência no PLD. Apenas no Norte os níveis mantiveram a recuperação observada no mês anterior, com índices em 71%, aumento de 2 p.p. Há redução nos níveis de 1,3 ponto no Sudeste/Centro-Oeste; de 0,8 ponto no Nordeste e principalmente no Sul, onde os níveis baixaram 12 pontos percentuais.

Com isso, a expectativa para o fator de ajuste do Mecanismo de Realocação de Energia em 2018 foi revista para 83,9%, com índices em 85,5% para maio e em 71,5% para junho. Quando a projeção do MRE é ligada à repactuação do risco hidrológico, que considera a sazonalização “flat” da garantia física, aponta índices de 79,7% em maio e 71,4% em junho.

O impacto financeiro da análise do MRE, em um cenário hipotético de 100% de contratação da garantia física, também subiu, ficando em R$ 27 bilhões para o ano, sendo R$ 18 bilhões referentes ao Ambiente de Contratação Regulada e R$ 9 bilhões ao Ambiente de Contratação Livre. Os Encargos de Serviços do Sistema devem alcançar R$ 73 milhões em maio. Para junho, a expectativa é de encargos na ordem de R$ 34 milhões.