Para Enel, preço por Eletropaulo foi justo

Presidente da empresa cita escala e lembra liderança em digitalização de redes

Ao dar o lance vitorioso de R$ 45,22 no leilão pelo controle da Eletropaulo (SP) na última quarta-feira 30 de maio, a Enel além de ganhar mais 7 milhões de consumidores para a sua base de clientes, se transforma no maior operador de distribuição do país, alcançando o número de 17 milhões de clientes. Ela já é dona das concessionárias Enel Rio, Enel Ceará e Enel Goiás. O presidente da Enel no Brasil, Carlo Zorzoli, considerou o preço pela Eletropaulo justo e que vai deixar a empresa confortável para poder entregar valor aos acionistas e ao mercado.

Para ele, a escala é fator importante em infraestrutura, o que permitiu que se chegasse a oferta final. “Estamos convencidos que foi um preço justo. A Eletropaulo nos posiciona como um grande distribuidor no Brasil, em uma área de concessão relevante para a economia do País, para onde queremos levar toda nossa expertise, know-how e tecnologia”, disse o executivo em comunicado à imprensa.

O investimento integral da Enel deve ficar em aproximadamente R$ 7,56 bilhões, o equivalente a cerca de € 1,75 bilhões à taxa de câmbio atual. O valor será acrescido ao do compromisso de subscrição de um aumento de capital subsequente na Eletropaulo de pelo menos R$ 1,5 bilhão, equivalente a aproximadamente € 350 milhões à taxa de câmbio atual. Zorzoli disse ainda que a Enel, além de ser uma das líderes mundiais em distribuição, com 65 milhões de clientes, é um dos grupos de distribuição mais avançados em termos de digitalização e de eficiência. O seu país de origem, a Itália, é o único com rede totalmente digitalizada, onde o processo começou há 16 anos.