MME define eólicas da Enel Green Power como produtores independentes

Obras nas EOLs São Gonçalo 22 e Ventos de Santa Ângela 20 irão demandar investimentos de cerca de R$ 221,1 milhões e R$ 154,3 milhões respectivamente. Ministério também confirmou duas eólicas da EDP Renováveis

O Ministério de Minas e Energia aprovou a operação como produtores independentes de energia de dois projetos relativos as usinas de geração eólica São Gonçalo 22 e Ventos de Santa Ângela 20, ambas localizadas no Piauí. As EOLs, que também foram confirmadas pelo MME como projetos prioritários e enquadradas junto ao Reidi, são da Enel Green Power e cada uma possui 30 MW de capacidade, com o período de execução das obras da EOL São Gonçalo 22 indo de 1º de janeiro de 2020 até janeiro de 2021 e da outra usina de 1º de março de 2022 até novembro do mesmo ano. Os respectivos empreendimentos irão demandar cerca de R$ 221,1 milhões e 154,3 milhões em investimentos, sem contar a incidência de impostos.

Outra empresa a ter a solicitação para produção independente, Reidi e projeto prioritário acatada pelo MME foi a EDP Renováveis, com os projetos das EOLs Santa Rosa e Mundo Novo IV e V, ambas situadas no Rio Grande do Norte e com 12,6 MW e 14,7 MW de potência. O período de execução de obras é de 30 de setembro de 2021 até dezembro de 2022, demandando respectivos investimentos de R$ 69,2 milhões e R$ 80,7 milhões, sem a incidência de taxas.