Justiça manda interromper processo de venda de distribuidoras da Eletrobras

Decisão exige que as concessionárias apresentem estudo do impacto da privatização sobre os contratos de trabalho em curso nessas empresas

A Eletrobras e suas distribuidoras sofreram novo revés no processo que visa a venda dessas concessionárias. A empresa informou nesta quarta-feira, 5 de junho, por meio de comunicado publicado no site da Comissão de Valores Mobiliários que recebeu decisão judicial da 49ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro, TRF-1a Região,  que impede o prosseguimento da privatização das distribuidoras. O motivo para essa decisão de tutela de urgência é o de exigir que a Amazonas Energia, Ceron, Eletroacre, Ceal e Cepisa apresentem de forma individual ou coletiva um estudo sobre o impacto da privatização nos contratos de trabalho em curso. O prazo é de 90 dias.