Eólicas da Voltalia vão operar como produtoras independentes

Obras nas usinas Vila Paraíba II e III e IV irão demandar cerca de R$ 162,1 milhões em investimentos por empreendimento. EOLs da Enel também foram aprovadas

O Ministério de Minas e Energia aprovou a operação como produtores independentes de energia de quatro projetos relativos as usinas de geração eólica denominadas Vila Paraíba II e III e IV e Vila Acre II, ambas localizadas no Rio Grande do Norte. As EOLs, que também foram definidas pelo MME como projetos prioritários e enquadradas junto ao Reidi, são de posse da Voltalia e, tirando a Vila Acre II, que conta com 27,3 MW de potência, todas outras possuem 32 MW.  O prazo para execução dos projetos II e III vai de fevereiro de 2020 até o final do ano e da IV e Vila Acre II de fevereiro de 2022 até dezembro do mesmo ano. Cada empreendimento irá somar cerca de R$ 162,1 milhões em investimentos, sem contar a incidência de impostos. A usina Vila Acre II contará com R$ 138,3 milhões.

O Ministério também confirmou os mesmos provimentos para cinco projetos de titularidade da Enel Green Power, correspondentes as EOLs Ventos de Santa Ângela 1, 2, 3, 4 e 7, todas situadas no Piauí e com 30 MW de capacidade prevista. O período de obras se dará entre março de 2022 até novembro do mesmo ano, requerendo um aporte de recursos da ordem de R$ 154,3 milhões por usina.