RGE e RGE Sul concluem obras em 9 subestações

Aporte de R$ 141,8 milhões realizado no 1º semestre possibilitou a construção de cinco SE’s e outras quatro ampliações, que irão aumentar a oferta de energia para 17 municípios

A RGE e a RGE Sul terminam o primeiro semestre de 2018 com a conclusão de nove obras dedicadas ao fornecimento de energia elétrica em suas áreas de concessão. As duas empresas construíram cinco novas subestações e ampliaram outras quatro, aumentando a oferta de energia elétrica para 17 municípios da Serra, Norte, Noroeste, Metropolitana e Região Central.

Segundo as concessionárias, as obras contaram com um investimento de R$ 141,8 milhões, beneficiando diretamente 334 mil clientes. Além das SE’s, foram construídas cinco linhas de distribuição de alta tensão e 33 alimentadores, necessários para fazer com que a energia chegue com qualidade às redes de distribuição.

As subestações novas são Caxias 7 e Alto Feliz, inauguradas em março pela RGE, e Passo Fundo 3, Severiano de Almeida e Tenente Portela, entregues em junho. Já as SE’s ampliadas foram Cachoeirinha 2, Flores da Cunha, Erechim 2 e Formigueiro.

Segundo o presidente da RGE e da RGE Sul, José Carlos Tadiello, as obras representam o que há de mais avançado em tecnologia para sistemas de distribuição de energia e aumentam os níveis de continuidade no abastecimento às regiões beneficiadas. “As cinco subestações inauguradas são totalmente telecomandadas, operadas a partir do nosso Centro de Operações. São iniciativas de grande porte que colocam essas cidades e regiões em um patamar muito superior em relação ao fornecimento de energia, abrindo a possibilidade de novos investimentos produtivos, gerando desenvolvimento econômico e social para todas as comunidades”, destacou Tadiello.

Houve também a troca de postes de madeira por concreto, com 23,1 mil postes substituídos ao todo durante o período. Além dessas ações, outra realização concretizada no início do ano foi a construção de 14 km de rede para atender a Corsan de Erechim na transposição do Rio do Cravo. Os recursos empreendidos pela RGE nesta obra foi de aproximadamente R$ 1,3 milhão.