MP quer que Chesf efetive Plano de Segurança da UHE Xingó

População ribeirinha também deverá ter sistema de alerta por celular para aumentos de vazão na usina

O Ministério Público Federal em Sergipe ajuizou duas ações civis públicas em defesa das populações ribeirinhas que vivem às margens do rio São Francisco na região da UHE Xingó. No primeiro processo, a Chesf já foi condenada pela Justiça Federal a elaborar o Plano de Segurança da Usina Hidrelétrica de Xingó, sob a supervisão da Agência Nacional de Energia Elétrica, que deve validá-lo. O plano serve para minimizar os impactos em caso de acidentes e esta é a primeira vez que uma UHE é obrigada pela Justiça a elaborar este tipo de documento no Brasil.

Já na segunda ação, o MPF em Sergipe pediu na Justiça que a Chesf seja obrigada a implantar um sistema de alerta por mensagens de texto por meio de telefones celulares que informe à população ribeirinha sobre aumentos de vazão na Usina Hidrelétrica de Xingó. O crescimento repentino do volume de água que a usina libera por meio de suas comportas aumenta a correnteza e o nível do rio, podendo causar acidentes como afogamentos, alagamentos e prejuízos materiais à população.