Geração à biomassa cresce 14% no primeiro semestre

As 270 usinas do tipo no país somaram 12,7 GW de capacidade instalada ao final de junho; São Paulo é maior produtor

Comparado ao primeiro semestre do ano passado, a geração de usinas movidas a biomassa registrou um crescimento de 14% nos seis primeiros meses de 2018, segundo dados da última atualização do boletim InfoMercado mensal da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica.

O levantamento aponta que as 270 usinas movidas pela queima da biomassa em operação comercial no Sistema Interligado Nacional – SIN somaram 2.408,8 MW médios entregues entre janeiro e junho deste ano. Em 2017, a geração alcançou 2.111,2 MW médios quando haviam 261 usinas cadastradas na CCEE. O Bagaço de Cana totalizou 1.878.7 MW médios em 2018, 78% do total. Em 2017, o montante gerado foi de 1.690.3 MW médios, 80% do total.

A capacidade instalada das termelétricas movidas pela fonte, ao final de junho, somava 12.678,5 MW frente aos 12.530,6 MW de capacidade existente um ano antes, ou seja, um pequeno acréscimo de 1,2%.

Na análise regional, São Paulo segue como maior produtor de energia oriunda da combustão da biomassa no país, com 1.033,9 MW médios de energia entregues no primeiro semestre. Na sequência, aparecem o Mato Grosso do Sul com 451,2 MW médios produzidos, Minas Gerais com 291,8 MW médios, Goiás com 232,7 MW médios e o Paraná com 154,5 MW médios.

O boletim da CCEE ainda confirmou o estado de São Paulo com a maior capacidade instalada, somando 5.308,3 MW, Em seguida aparece o Mato Grosso do Sul com 1.904,8 MW, Minas Gerais com 1.326,0 MW, Goiás com 1.084,5 MW e o Paraná com 713,9 MW de capacidade.