CMSE autoriza ONS a acionar térmicas mais caras

Operação fora da ordem de mérito foi iniciada na madrugada do último sábado, 1º de setembro

O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico autorizou o acionamento de usinas termelétricas fora da ordem de mérito desde a madrugada de sábado, 1º de setembro. A decisão foi tomada sem aviso prévio, em reunião extraordinária na sexta-feira, 31 de agosto, no mesmo dia em que foram realizados os leilões de energia elétrica A-6 e de áreas do pré-sal.

Em nota divulgada na manhã de sábado, 1º, a Secretaria de Energia Elétrica do MME informou que a reunião extra foi solicitada pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico, “frente ao cenário de agravamento do nível de armazenamento da principal bacia hidrográfica dos rios Grande e Paranaíba, bem como a manutenção da navegabilidade da Hidrovia Tietê-Paraná.”

A manutenção em operação de usinas térmicas mais caras será reavaliada na próxima quarta-feira, 5, na reunião ordinária mensal do CMSE. “A SEE alerta para a importância de que a sociedade esteja ciente do fato de que o recurso energético de menor preço, proveniente das hidrelétricas, está escasso e que para manter o nível de segurança do suprimento de energia é necessário acionar o parque termelétrico, que tem custos mais elevados. Este é, portanto, um alerta para que o consumidor faça uma gestão mais eficiente do seu consumo de energia”, afirmou o comunicado.

A operação dessas usinas deve aumentar ainda mais o custo pago pelo consumidor. No mesmo dia da reunião do CMSE, a Agência Nacional de Energia Elétrica anunciou a manutenção em setembro da bandeira tarifaria vermelha no patamar 2. Isso  significa cobrança adicional na conta mensal  de energia de R$ 5,00 a cada 100 kW consumidos.