Evento debaterá desafios para desenvolvimento do biogás no Brasil

V Fórum do Biogás reunirá executivos e especialistas da área nos dias 31 de outubro e 1º de novembro, em São Paulo. Raízen apresentará detalhes sobre a implementação da maior planta de biodigestão do mundo para geração de energia

Considerado o maior evento sobre biogás do país, O V Fórum do Biogás reunirá nos dias 31 de outubro e 1º de novembro, em São Paulo, representantes de todos os setores da cadeia de produção, aproveitamento e beneficiamento do segmento. Além de incentivar o networking, a troca de conhecimento e o fomento à novas parcerias, o evento promovido pela Associação Brasileira do Biogás e do Biometano tem como principal objetivo a inserção definitiva dessas fontes alternativas na matriz energética brasileira.

Durante a programação, executivos, palestrantes e especialistas irão abordar os avanços e expectativas do Biogás no Brasil, as evoluções do Renovabio, a geração distribuída a partir da fonte, o uso do biometano na mobilidade, as políticas estaduais de incentivo, as opções de financiamento, além de como foi a implementação da maior planta de biodigestão do mundo para geração de energia elétrica. Nesta edição, a American Biogas Council (ABC) estará presente e fará uma apresentação sobre o impacto das políticas RFS e LCFS no mercado de biometano norte-americano.

Alessandro Gardemann, presidente da ABiogás, comemora a realização de mais uma edição do Fórum e a relevância do evento que “reúne em um mesmo lugar os atores mais importantes do segmento. “É através dessa interação que conseguimos, a cada ano, evoluir e desenvolver ainda mais o setor de biogás e biometano”, destacou o executivo.

Com uma pegada menor de carbono e elevada competitividade frente aos combustíveis fósseis, o biometano é um recurso chave para o Programa RenovaBio, uma vez que atende os objetivos e diretrizes da política, promovendo sustentabilidade com redução de emissões e ampliação da matriz energética nacional.

Para abordar esse tema com profundidade, além da participação do presidente Alessandro Gardemann, falarão representantes do MME, ANP e da consultoria especializada em açúcar e etanol, Datagro. A mediação ficará por conta de José Mauro Coelho, Diretor de Petróleo, Gás e Biocombustíveis da EPE.

Em um segundo momento, executivos da American Biogas Council (ABC), da canadense Greenlane e do Departamento para Comércio Internacional do Reino Unido apresentarão os mercados de biogás/biometano em seus países e como os governos incentivam esta forma de energia/combustível.

Vencedora do leilão de energia nova A-5 em 2016, a Raízen contará como acontece a implementação da maior planta de biodigestão do mundo para geração de energia elétrica. A empresa deve colocar a usina Bonfim, térmica a biogás de 21 MW negociada no leilão, para operar em 2019.

 O uso do biometano no transporte também será abordado com iniciativas de sucesso. A New Holland apresentará o seu trator movido pelo combustível. Apresentado em primeira mão no Brasil, o modelo ainda está sendo testado, mas já apresenta as boas intenções da empresa para o segmento no Brasil. “Imaginamos que daqui a aproximadamente dois anos, a New Holland terá um produto movido a biometano comercial sendo lançado onde haja uma malha de produção de gás que já esteja bem estabelecida”, destaca Nilson Righi, Gerente de Produto e Marketing.

Em agosto, a Scania Brasil anunciou a chegada das novas motorizações com os combustíveis alternativos e mais sustentáveis de GNV/biometano e bioetanol. Chamados de a Nova Geração de caminhões, eles começaram a ser vendidos em novembro e com entrega em 2019 e reforçam o papel de vanguarda adotado pela empresa. “Vamos continuar investindo em produtos com combustíveis alternativos que, de fato, comprovem sua viabilidade econômica, além da contribuição ambiental”, destacou Silvio Munhoz, diretor comercial.