Energia elétrica contribui para IPCA-15 de 0,19% em novembro

Recuo de 0,13% no Grupo Habitação foi puxado pelos reajustes em Goiânia, São Paulo e Brasília

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 em novembro apresentou variação de 0,19%, 0,39 ponto percentual abaixo da taxa registrada em outubro, quando obteve 0,58%. Esse é o menor resultado para um mês de novembro desde 2003. A variação acumulada no ano foi de 4,03% e, nos últimos doze meses, de 4,39%, abaixo dos 4,53% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores.

O grupo Habitação teve retração de 0,13%, a segunda maior no período entre os grupos pesquisados, puxada pelo item energia elétrica (1,46%), que passou a vigorar desde 1º de novembro com a bandeira tarifária amarela. Segundo o IBGE, impactaram no resultado o reajuste de 15,56% em Goiânia (5,37%) e o de 6,18% verificado em Brasília (0,98%), ambos em vigor desde 22 de outubro. Em São Paulo (-2,05%), houve reajuste de 15,23% em uma das concessionárias pesquisadas, vigente desde o dia 23 de outubro.

Os dados usados no cálculo do índice foram coletados de de 12 de outubro a 12 de novembro de 2018 e comparados com aqueles vigentes de 14 de setembro a 11 de outubro de 2018. O indicador refere-se às famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos e abrange as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba, além de Brasília e Goiânia.