Rússia e Argentina assinam acordo de cooperação em energia nuclear

Modelos para implementação de pequenas e grandes usinas está na pauta do acordo

Rússia e Argentina assinaram um documento estratégico à margem da cúpula do G20, confirmando sua parceria no uso pacífico da energia nuclear. Tanto o presidente da Federação Russa, Vladimir Putin, quanto o presidente da Argentina, Mauricio Macri, participaram da cerimônia oficial. Alexey Likhachev, diretor executivo da Rosatom, assinou o documento em nome da Rússia; Javier Iguacel, Ministro da Energia da Argentina, assinou em nome da Argentina.

De acordo com Linkhachev, o documento assinado vai permitir ampliar a cooperação existente com os parceiros argentinos. Segundo ele, todos da Rosatom estão certos de que a medida incentivará a cooperação mutuamente benéfica na aplicação da tecnologia nuclear para fins pacíficos. Uma das áreas fundamentais de cooperação mútua, delineada no documento, é o desenvolvimento de diferentes modelos de implementação de projetos de construção de usinas nucleares de grande e pequena potência na Argentina.

O acordo também envolve o trabalho em implementação conjunta de projetos em países do terceiro mundo, incluindo a construção de centros de pesquisa e formação de pessoal para os mesmos. Finalmente, o documento oferece oportunidade de realização de pesquisas científicas conjuntas, treinamento de pessoal e outras atividades.

Além disso, segundo o documento, as partes também considerarão a possibilidade de uma operação conjunta da frota de usinas nucleares flutuantes, com base no projeto russo, tendo em conta a conclusão da construção da primeira usina flutuante do mundo, a “Akademik Lomonosov”. Um “roteiro” de cooperação sobre a implementação de projetos específicos russo-argentinos no uso pacífico de energias nucleares também foi assinado na cerimônia.