Idec lança ferramenta que avalia conta de luz para consumidores

Seção “É da sua conta" busca facilitar compreensão da fatura de energia pelos clientes, auxiliando-os a reivindicarem direitos relacionados ao fornecimento de energia

O Idec, ONG de Defesa do Consumidor, lançou em sua página na internet o especial “É da sua conta”, que disponibiliza conteúdo educativo completo e didático sobre o sistema brasileiro de energia elétrica, abordando temas como a fatura de energia elétrica, encargos e tributos, sistema integrado de geração e distribuição, além da eficiência energética.

A seção oferece também duas ferramentas de grande utilidade ao consumidor: uma calculadora da conta de luz – que permite simular diferentes tipos de gastos, impostos e bandeiras tarifárias – e outra da Tarifa Branca – que possibilita avaliar se vale à pena aderir a essa modalidade de cobrança, que oferece luz mais barata àqueles que consomem fora do horário de pico.

Para Clauber Leite, pesquisador em Energia e Consumo Sustentável do Idec, a maioria das pessoas não compreende os dados da conta de luz porque a linguagem é muito técnica e confusa, além de não ser acompanhada de qualquer explicação. “Sem entender a informação, fica impossível reivindicar direitos”, afirmou.

No site, é possível encontrar a explicação de cada item da fatura e compreender que o valor pago no final do mês está totalmente ligado aos hábitos de consumo de energia de toda a população brasileira; aos tipos de fontes de energia existentes no país e às decisões tomadas pelos governantes relativas ao setor.

Um ponto importante, para o qual a iniciativa deseja chamar a atenção do consumidor, é a quantidade de encargos e tributos que incidem na conta de luz, compondo mais de 40% do que se paga mensalmente. “Essa porcentagem vem aumentando nos últimos anos. A população precisa entender minimamente essa questão se quisermos revertê-la”, reafirmou Clauber.

O conteúdo inclui ainda uma simulação de “conta ideal”, na qual o consumidor seria capaz de compreender a composição e o cálculo feito na fatura, quais fontes de energia foram utilizadas e o quanto ele contribuiu para emissão de gases do efeito estufa.