Cemig GD inaugura primeira usina fotovoltaica

Instalação de 16 mil placas irá gerar energia limpa para comerciantes do Mercado Central e por empresas e indústrias associadas à FIEMG. Projeto é uma parceria com Grupo Mori Energia Solar, num investimento total de R$ 18,5 milhões

A Cemig GD inaugurou sua primeira usina de minigeração destinada ao atendimento a clientes atendidos em baixa tensão, como comércios e pequenas indústrias. O empreendimento, localizado em Janaúba (MG), contou com um investimento de R$ 18,5 milhões e está instalado em uma área de 230 mil m², o equivalente a 27 campos de futebol.

A unidade é uma parceria com o Grupo Mori Energia Solar e a energia gerada pelas 16 mil placas fotovoltaicas será utilizada por comerciantes do Mercado Central e por empresas e indústrias associadas à Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG). O evento de inauguração aconteceu nesta quinta-feira, 14 de fevereiro, e contou com a presença do diretor de Gestão de Participações da Cemig, Daniel Faria Costa, do diretor de Finanças, Administração e Comercialização da Cemig GD, Marco Aurélio Guimarães Monteiro, do prefeito de Janaúba, Carlos Isaildon Mendes, da diretoria da Mori, além de outras autoridades.

O diretor de Gestão de Participações da Cemig, Daniel Faria Costa, salientou as vantagens e benefícios da geração distribuída, de acordo com a resolução 482/2012 da Aneel. “Os clientes de alta tensão podem comprar no mercado livre, enquanto os de baixa tensão só podem receber energia da distribuidora, agora toda empresa ou pessoa física pode deixar de ser um simples consumidor e pode ser um gerador, mas não é um gerador clássico. Ele compensa o seu próprio consumo e, eventualmente, constitui créditos para consumos futuros”, destacou.

A Cemig GD desenvolve usinas de geração distribuída, proporcionando benefícios ambientais, reduzindo o consumo de combustíveis fósseis e as emissões de gases de efeito estufa, além de contribuir com a redução dos custos de energia atuais, para o desenvolvimento sustentável e o aumento da competitividade da indústria mineira.

No Brasil, a Aneel estabelece que as fontes de GD devem ser renováveis, tais como painéis fotovoltaicos e geradores hidráulicos de pequeno porte e eólicos, dentre outras fontes, possibilitando ao consumidor gerar sua própria energia elétrica, inclusive por meio de união de diversos interessados em consórcios, cooperativas ou condomínios.

Segundo o Atlas Solarimétrico da Cemig, a região Norte de Minas, especialmente Janaúba e o município vizinho de Jaíba, apresenta valores médios de potencial deste tipo de geração de energia comparáveis aos melhores valores do país, que são encontrados no Nordeste.

O governo de Minas Gerais também estimula a produção e a comercialização dessa energia no Estado a estabelecimentos com atividade de geração, transmissão ou comercialização de energia solar, por meio da concessão de créditos de ICMS relativos à aquisição de energia solar produzida no Estado, pelo período de 20 anos.