MWM mira mercado de geradores de energia buscando faturar R$ 2,7 bilhões

Com investimentos estimados em R$ 20 milhões, a nova linha de produção terá capacidade de fabricar 4 mil unidades por ano

A fabricante de motores MWM anunciou nesta terça-feira, 26 de fevereiro, que passará a produzir geradores de energia elétrica no Brasil. A companhia, que é controlada pela norte-americana Navistar, prevê um incremento no faturamento de R$ 2,7 bilhões em 10 anos.

Com investimentos estimados em R$ 20 milhões, a nova linha de produção terá capacidade de fabricar 4.237 unidades por ano, ou cerca de 330 por mês. Em 2019, a expectativa é produzir 600 unidades, ampliando esse número para 1.200 geradores em 2020.

Na primeira fase, a MWM produzirá entre 40 e 800 kVA. Na fase dois, prevista para o segundo semestre, serão produzidos equipamentos com até 1.200 KVA de potência. Estão disponíveis geradores movidos à diesel e biodiesel. Em 2020, a previsão é que os equipamentos também produzirão eletricidade com etanol e gás natural.

A tecnologia poderá ser utilizada como backup por condomínios comerciais e residenciais, agricultura, setor sucroalcooleiro, avicultura, telecomunicações, hospitais, supermercados, construção civil, dentre outros. A MWM contará com a parceria das empresas TBD, Scania, Volvo e MAN na produção dos geradores.

Atuando no Brasil há 65 anos, a MWM já fornecia a terceiros motores para produção de geradores de energia. “Detectamos um enorme potencial de crescimento do consumo de energia elétrica no Brasil e hoje há uma carência no fornecimento de grupo geradores por conta de dificuldades específicas que a crise trouxe para alguns fabricantes tradicionais de grupos geradores. Isso abriu uma oportunidade para a MWM, com a sua tradição e tecnologia, pudesse explorar esse mercado. Vamos continuar vendendo motores para fabricantes de grupo gerador, mas também decidimos entrar no segmento de geração de energia por conta própria”, afirmou explicou José Eduardo Luzzi, CEO da MWM Motores para o Mercosul, em coletiva de imprensa na sede da MWM, em São Paulo.

Em 2018, a maior fabricante de grupos geradores Stemac entrou em recuperação judicial, com uma dívida estimada em R$ 700 milhões. De acordo com uma pesquisa encomendada pela MWM, o mercado de grupo geradores no Brasil foi de 8 mil unidades em 2018, com expectativa de chegar a 15 mil unidades em 2024.

A MWM já produziu 4,4 milhões de motores no Brasil. Em 2018, a empresa registrou faturamento de R$ 1,3 bilhão, sendo que as exportações representam 20% da receita. No Brasil, a empresa possui uma fábrica, um centro de distribuição de peças e um centro tecnológico. Também possui uma unidade fabril na Argentina, que inclusive já produz os novos geradores de energia MWM desde agosto de 2018.

A MWM espera que a nova unidade de negócio gere mil postos de trabalho considerando toda cadeia produtiva, nas áreas de tecnologia, produção, fornecedores, rede distribuição e serviços. “Também é importante ressaltar que os geradores MWM possuem 95% de conteúdo local, o que sem dúvida é um diferencial para a empresa”, disse o diretor da unidade de negócios de motores e geradores, Cristian Malevic.

A nova linha será destinada ao mercado brasileiro e exportação. Os principais alvos da empresa são países da América Latina, com destaque para Colômbia, Chile, Equador, Paraguai. A distribuição no Brasil será feita pelas empresas BRG (região Centro-Norte) e a Curitek na região Sul. Em São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e região Nordeste a distribuição será feita pela própria MWM.