UHE Colíder está próxima de iniciar operação comercial

Primeira UG está operando com carga nominal para o teste de confiabilidade de 96 horas e aguarda a anuência do ONS e autorização da Aneel

A Copel informou por meio de comunicado publicado na noite da última quinta-feira, 28 de fevereiro, que a UHE Colíder (MT, 300 MW) está operando com carga nominal para o teste de confiabilidade, que é o requisito final para entrada em operação comercial da unidade geradora 1 de um total de três unidades. A companhia informou também que finalizou todas as etapas programadas para o período de operação em testes da SE Santa Bárbara d’Oeste, pertencente à SPE Mata de Santa Genebra, uma sociedade entre a estatal paranaense que detém por meio da Copel GT 50,1% do projeto com Furnas (49,9%).
De acordo com a empresa, a hidrelétrica concluiu com sucesso os ensaios de comissionamento da unidade geradora 1 e está desde o dia 26 de fevereiro de 2019 operando com carga nominal para o teste de confiabilidade de 96 horas de operação ininterruptas. Tal teste visa garantir a segurança operacional e o perfeito funcionamento da unidade. Após a conclusão dos testes de confiabilidade aguarda-se a anuência do Operador Nacional do Sistema Elétrico e autorização da Aneel para o início da operação comercial, prevista para o início deste mês.
Quanto ao projeto de transmissão foram concluídas em 25 de fevereiro todas as etapas programadas para o período de operação em testes da subestação Santa Bárbara d’Oeste (compensador estático 300MVar/-300MVar). Assim permite-se o funcionamento em regime de Operação Comercial dessa subestação.
A SPE Mata de Santa Genebra ainda aguarda a emissão do Termo de Liberação Provisória por parte do ONS, sem prejuízo da data já iniciada da operação comercial. O TLP proporcionará à SPE Mata de Santa Genebra o recebimento de uma parcela da RAP, relacionada à subestação Santa Bárbara d’Oeste, no montante de R$ 10,8 milhões.
A RAP total prevista para o empreendimento é de R$ 233,8 milhões, sendo R$ 117,1 milhões referentes à participação da Copel, e o recebimento total está condicionado a entrada em operação das demais fases do projeto que terá 885 quilômetros de extensão e conectará os estados de São Paulo e Paraná. O vencimento da concessão é em 13 de maio de 2044.