Energisa fica com 95,4% da Ceron e 93,6% da Eletroacre

Empresa comprou as sobras de ações que não foram adquiridas pelos empregados e aposentados das empresas após a privatização das concessionárias

O período do direito de preferência de subscrição de ações nos aumentos de capital das distribuidoras Ceron e Eletroacre, recém privatizadas pela Eletrobras, chegou ao final. Em comunicado publicado pela holding compradora no site da Comissão de Valores Mobiliários, foram subscritas em 1º de março de 2019 as sobras de ações que não foram adquiridas pelos empregados e aposentados.
Com o final dessa fase, na Ceron, a Energisa subscreveu e integralizou sobras no montante de 128.665.217 ações ordinárias, todas nominativas e sem valor nominal, no valor total de R$ 27,8 milhões, ficando ao final com 95,43% do capital social da distribuidora, outros 4,57% estão nas mãos dos empregados e aposentados, além da única ação da Eletrobras, conforme o edital de privatização estabelecia.
Já na Eletroacre, a Energisa subscreveu e integralizou sobras no montante de 10.088.904.771 ações ordinárias e 3.768.032.911 ações preferenciais, todas nominativas e sem valor nominal, no valor total de R$ 35,3 milhões, ficando com 93,58% do capital social da distribuidora, outros 4,94% com os empregados e aposentados, 1,48% nas mãos de outros minoritários, bem como a ação única da Eletrobras.