Eletrobras: Leonam Guimarães não está implicado no caso Angra 3

Estatal realizou investigação independente sobre corrupção na obra da usina

A Eletrobras informou em comunicado ao mercado na última quinta-feira, 4 de abril, que o atual presidente da Eletronuclear, Leonam Guimarães, não é suspeito em nenhum dos casos de corrupção nas obras da usina de Angra 3 e que implicaram nas prisões de ex-presidentes e diretores da estatal nuclear e mais recentemente, do ex-presidente da república Michel Temer e do ex-ministro Moreira Franco.

“Os procedimentos de investigação não detectaram qualquer suspeição sobre a conduta do Sr. Leonam dos Santos Guimarães ou qualquer envolvimento deste com o esquema de corrupção encontrado na Eletronuclear”, diz o comunicado. O presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior, já havia declarado à Agência CanalEnergia, que a empresa fez uma investigação independente bastante abrangente e que atuou como assistente de acusação nos casos. A corrupção relacionada a Angra 3, identificados na investigação, foram objeto de medidas administrativas cabíveis, como encerramento de contratos e exoneração de executivos envolvidos, bem como o registro de perdas da ordem de R$ 141.3 milhões.

Ainda segundo o comunicado, a Eletrobras informa que continua acompanhando as ações em curso da “Operação Lava Jato”, no Rio de Janeiro, para avaliar se deve adotar alguma medida adicional.