Aneel lança chamada de P&D sobre mobilidade elétrica

Proposta exige contrapartida de pelo menos 10% do valor do projeto em recursos externos ao programa

A Agência Nacional de Energia Elétrica vai lançar chamada pública de projeto estratégico de pesquisa e desenvolvimento que trata de Soluções em Mobilidade Elétrica Eficiente. A versão final do edital com os critérios, prazos e procedimentos a serem observados pelos interessados foi aprovada pela diretoria da Aneel na última terça-feira, 10 de abril.

A chamada tem como objetivo a apresentação de projetos de P&D por adesão de empresas de geração, transmissão ou distribuição de energia elétrica. Uma das novidades é a exigência de contrapartida de, no mínimo, 10% do valor total do projeto em recursos financeiros externos ao programa de P&D da Aneel, que é custeado com recursos do setor.

Os projetos terão duração de até 48 meses e devem propor “soluções para mobilidade elétrica por meio de modelos de negócio, equipamentos, tecnologias, serviços, sistemas ou infraestruturas para suporte ao desenvolvimento ou à operação dos veículos elétricos ou híbridos plug-in.” Equipamentos, tecnologias, sistemas e infraestrutura desenvolvidos devem atingir os estágios finais da cadeia de inovação. As instituições executoras contratadas pelas empresas devem realizar estudos específicos sobre o que existe de mais avançado, analisar possíveis aplicações em todo o território nacional, comparar com outras opções tecnológicas e calcular custos de formação de base tecnológica nacional.

Dados apresentados pela agência mostram que o mercado de veículos elétricos tem tido crescimento expressivo em países europeus, Estados Unidos e China, e se diversificado em aplicações multimodais como ônibus, motos, trens e até navios e aviões. Em 2017, havia mais de 3 milhões de unidades em circulação, contra pouco mais de mil unidades em 2005. Cresceram também os gastos com financiamento de veículos elétricos, que somaram US$ 16 milhões de dólares entre 2008 e 2014 nos Estados Unidos.

Em todos esses países, o objetivo é a redução de gases de efeito estufa. No Brasil, a questão da mobilidade elétrica tem um marco importante que é o Programa Rota 2030. Ele trata de incentivos fiscais à indústria automobilística para investimentos em pesquisa e desenvolvimento e eficiência energética nessa área.