Ranking coloca Schneider Electric entre as 100 empresas mais éticas do mundo

Multinacional aparece pelo nono ano consecutivo na lista elaborada pelo Ethisphere Institute e afirma que Estatuto de Ética da companhia será atualizado este ano, ganhando capítulo sobre responsabilidade digital

A Schneider Electric foi reconhecida pelo nono ano consecutivo como uma das empresas mais éticas do mundo pelo Ethisphere Institute, que avalia os valores morais empregados na estratégia de grandes corporações, elaborando um ranking com 100 selecionáveis. Para Emmanuel Babeau, vice-presidente executivo responsável por Finanças e Assuntos Jurídicos e chefe do Comitê de Ética da Schneider Electric, o reconhecimento na lista fará a companhia “redobrar os esforços quanto comportamento ético exemplar em todos os níveis da organização e em todo ecossistema”, afirmou, informando que o código de conduta Princípios de Responsabilidade, criado em 2012, será atualizado ainda no primeiro semestre de 2019, sendo acompanhado por um amplo programa de treinamento para todos os colaboradores.

Um dos responsáveis pelo resultado da empresa é o programa Responsabilidade e Dinâmica Ética, criado em 2008 para promover o engajamento dos trabalhadores. A iniciativa combina prevenção e aconselhamento com investigação e controle, servindo como um indicador de desempenho ético no Schneider Sustainability Impact (SSI), ferramenta que mede o desempenho da sustentabilidade. Até o fim de 2018, 155 fornecedores da multinacional foram avaliados na categoria Direitos Humanos e Meio Ambiente do SSI, após visitas in loco. Há um plano ainda de avaliar 300 fornecedores até 2020. Como exemplo adicional do programa em ação, 68% dos empregados em Vendas, Compras e Financiamentos receberam treinamento em combate à corrupção, sendo o objetivo capacitar 100% da força de trabalho até 2020.

Além do Schneider Sustainability Impact, a Schneider Electric implementou uma série de outras iniciativas. Em junho de 2018, o sistema de alerta Linha Verde foi implantado para todas as partes externas interessadas – fornecedores, subcontratados, clientes e revendedores – que poderiam ser confrontadas ou testemunhar comportamentos não-éticos que pudessem implicar ou afetar a empresa, permitindo-lhes uma maneira simples de sinalizar tais situações on-line.  Além disso, no mesmo ano a campanha Integridade nos Negócios foi lançada para todos os 142 mil colaboradores da corporação em todo o mundo. Uma campanha antibullying também foi lançada concomitantemente.

Já para este ano, Babeau acenou que o Estatuto de Ética da empresa será atualizado, com um capítulo sobre ética digital adicionado, delineando as regras éticas que governam a proteção de dados, incluindo, por exemplo, o uso ético de dados em projetos de inteligência artificial. “Aqui não aceitamos nenhuma falta de comprometimento, quando se trata de ética, e isso vai muito além do simples cumprimento de exigências regulatórias ou legais. Ao fazê-lo, nos tornamos mais sustentáveis e mais responsáveis”, avaliou o chefe do Comitê de Ética da companhia.

Criada em 2006, a lista anual Empresa Mais Ética do Mundo homenageia empresas que demonstraram liderança ética exemplar em seus setores, elevando o padrão de comportamento corporativo como o certo a ser feito e como uma estratégia efetiva de longo prazo. Cinco áreas principais são avaliadas: ética e conformidade, cidadania e responsabilidade corporativa, cultura de ética, governança e liderança, e inovação e reputação.