State Grid conclui obras de segundo bipolo de Belo Monte antes do prazo

Chinesa deve antecipar começo da operação em quatro meses e se coloca pronta para leilão de LTs do fim do ano

Com a entrega da Subestação Terminal Rio, em Paracambi (RJ), nesta quinta-feira, 18 de abril, a State Grid finalizou as obras do segundo bipolo da UHE Belo Monte. Com investimentos de R$ 8,77 bilhões, o empreendimento de 2.539 quilômetros de extensão começa em Anapu (PA) e passa ainda pelos estados do Tocantins, Goiás e Minas Gerais. Com o fim das obras, a State Grid prevê o início da operação para agosto, antecipando em quatro meses o prazo previsto em contrato, que é dezembro deste ano. Sem mais projetos em construção no país, o presidente da empresa no Brasil, Chang Zhongjiao, não descarta que a SGBH participe do leilão de LTs no fim do ano ou mesmo adquira projetos brownfield. “A State Grid tem planos de ficar por longo prazo no Brasil, portanto estamos sempre olhando oportunidades”, explica o executivo chinês.

O bipolo, que é o maior projeto de +/-800kV no mundo e gerou em torno de 18 mil empregos, vai ter uma tecnologia que reduz a perda de energia. De acordo com Paulo Zerbatti, gerente geral da SE Terminal Rio, essa redução traz a possibilidade de que mais energia seja oferecida para os consumidores. Com isso, riscos de apagões e falhas no sistema também são reduzidos. O empreendimento recolheu R$ 2,2 bilhões em impostos no período da obra.

O empreendimento, que foi construído pela subsidiária Xingu Rio Transmissora de Energia, consiste em duas estações conversoras com capacidade de 4.000 MW, mais de 4.400 torres do tipo estaiadas e autoportantes, dois eletrodos, nove estações repetidoras, dois compensadores síncronos, entre outros equipamentos.

SE Terminal Rio (foto: Divulgação)

Segundo o diretor executivo da XRTE, Anselmo Leal, a questão ambiental não foi um impeditivo para a conclusão da obra. “A questão ambiental não é desafio, mas sim uma fase do projeto. O que adotamos como prática foi resultado de lições aprendidas na curva de aprendizado”. Ainda segundo ele, a contratação de brasileiros com expertise na regulação ambiental aliada a engenharia chinesa foi o diferencial.

Na parte específica da SE Terminal Rio, o investimento da SGBH foi de R 2 bilhões. Desde 2010 no país, a estatal chinesa já investiu mais de R$ 21,6 bilhões. Em 2018, a SGBH foi a empresa do setor elétrico que mais investiu no Brasil, com R$ 6 bilhões de aporte. Neste projeto, 80% dos equipamentos e serviços são oriundos do Brasil.

*O repórter viajou a convite da State Grid