Cemig conclui incorporação de RME e Lepsa

Participação na Light não foi alterada pois as duas empresas eram suas subsidiárias integrais

A Cemig concluiu o processo de incorporação de suas subsidiárias integrais Luce Empreendimentos e Participações e a Rio Minas Energia Participações (RME). Assim as duas empresas são extintas e também, de forma imediata e automática, a perda de objeto e a extinção das obrigações assumidas no Acordo de Acionistas da Light. A estatal mineira aprovou a incorporação da RME e da Lepsa na Assembleia Geral Extraordinária, realizada em 25 de março de 2019. E explicou em fato relevante que por se tratar de incorporação de subsidiária integral, não haverá aumento de capital, nem a necessidade de emissão de novas ações.
“Ressaltamos que tal incorporação não altera a participação da Cemig já detida no capital da Light”, conclui a empresa.  Antes da restruturação a Cemig possuía diretamente 26,06% do capital da empresa fluminense mais 10,90% por meio da RME e 13,03% da Lepsa. O BNDESPar detém 9,39% e os 40,62% estão no mercado de ações nas mãos de outros acionistas.