Desligamento de LT em São Paulo corta 113 MW do SIN

Queda de árvore sob linha interrompeu fluxo da CPFL Piratininga na tarde do último domingo (28), com restabelecimento total em 2 horas e 29 minutos. Ocorrências também causaram redução de carga no Amazonas e Amapá

A indisponibilidade da linha de transmissão Henry Borden/ Jabaquara C1, no estado de São Paulo, provocou a interrupção de 113 MW da CPFL Piratininga na região da Baixada Santista, supridas a partir das subestações Mário Brígido, Voturuá e Marapé. Segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), que identificou a ocorrência às 16:10 horas do último domingo, 28 de abril, em seu boletim diário da operação, equipes de inspeção encontraram uma árvore caída sob a linha. Após o corte do objeto, a LT começou a ser energizada 18:09 horas, com as cargas sendo recompostas integralmente em 2 horas e 29 minutos.

Na mesma publicação, o ONS reportou a desconexão das LTs Tucuruí/ Xingu C1 e C2, Xingu/ Jurupari C1 e C2, além do transformador TR-1 da subestação Xingu, no Pará, que causaram a redução de carga de 139 MW da Amazonas Energia no Amazonas e de 23 MW da CEA no Amapá, com atuação do segundo estágio do Esquema Regional de Alívio de Carga – ERAC. A recomposição no Amapá foi iniciada às 12:59 horas, sendo finalizada sete minutos depois, enquanto que no Amazonas a normalização da operação aconteceu em 19 minutos.

O Operador também registrou recuo de 432 MW na transmissão do Elo Xingu/ Estreito, além da rejeição de geração na área de Manaus, através da UG1 da Térmica de Mauá III e das UGs 2, 3 e 4 da UHE Santo Antônio do Jari, 7,8 e 10 da UTE Aparecida e a UG3 da UHE Ferreira Gomes.