Enel Distribuição São Paulo inaugura subestação em São Bernardo do Campo

Companhia investiu cerca de R$ 20 milhões na nova unidade, que trará benefícios para mais de 180 mil pessoas

Com um aporte de aproximadamente R$ 20 milhões, a Enel Distribuição São Paulo inaugurou na última quinta-feira, 9 de maio, a nova subestação Batistini, localizada no bairro dos Casas, em São Bernardo do Campo, na região do ABC paulista, beneficiando mais de 180 mil pessoas.

Com a unidade, a empresa poderá redistribuir as cargas de outras subestações, como Alvarenga, Rio Grande e São Bernardo do Campo, o que garante maior confiabilidade no fornecimento de energia elétrica. Dentre os bairros beneficiados, estão Assunção, Batistini, Centro, Vila Jurubatuba, Vila Marchi, Vila Olga, Vila Santa Angelina, Vila Santa Rita de Cassia, Vila Vitoria e Yara Praia, na cidade de São Bernardo do Campo.

A nova SE tem potência instalada de 66 MVA – 88 kV / 13,8 kV, sendo totalmente automatizada e monitorada à distância por meio da Central de Operações da distribuidora, localizada na cidade de Barueri, região metropolitana de São Paulo. Com isso, técnicos da concessionária também podem atuar remotamente nos equipamentos da subestação, o que evita o deslocamento de equipes e agiliza os reparos.

A construção do empreendimento foi iniciada em janeiro de 2018, com a topografia, limpeza e terraplanagem do terreno. Em seguida, começaram as obras para a construção das edificações, montagem eletromecânica e comissionamento dos equipamentos.

A estação faz parte do complexo Batistini, que também contará com investimentos para construção de uma rede de distribuição, cujo objetivo é acompanhar o crescimento da região. A obra deve ser concluída até o final do 1º semestre. Atualmente, a Enel Distribuição São Paulo possui 192 subestações, com 463 transformadores que totalizam uma capacidade instalada de 15.420 MVA.

Outros investimentos

 A concessionária também prevê 21,5 mil podas na região e a instalação de 49 km de Spacer Cable, um tipo de cabeamento mais resistente a interferência de ventos fortes, galhos e quedas de árvores.

Nos três primeiros meses do ano, a companhia instalou dois conjuntos de religadores automáticos, equipamentos que têm o objetivo de reduzir o número de ocorrências e diminuir o tempo para o restabelecimento da energia.