Debêntures da Omega recebem nota de crédito para investimento

Montante final da emissão das debêntures soma R$ 810 milhões

A agência de classificação de risco Fitch atribuiu o rating ‘AA(bra)’, com perspectiva estável, às quatro séries da primeira emissão de debêntures da Omega Geração. A nota divulgada na última quinta-feira, 23 de maio, reconhece a diversificada base de ativos da companhia, com contratos de compra e venda de energia nos mercados regulados e livre, e uma dívida que beneficia estruturas de financiamento e limita o fluxo de dividendos de acordo com o cumprimento dos índices financeiros. O montante final da emissão das debêntures soma R$ 810 milhões, com vencimentos entre 2024 e 2027.
A Omega é uma holding criada em 2008 cujo objetivo é investir apenas em projetos renováveis operacionais. Atualmente, seu portfólio totaliza 744,7 MW de capacidade instalada. Com a incorporação do Complexo Asssuruá, de 303 MW de capacidade instalada, a ser concluído com os recursos da primeira emissão, e com a incorporação de Delta 7 e 8, esperada para janeiro de 2020, a capacidade instalada da Omega totalizará 1.144 MW.
Em 7 de dezembro de 2018, a Omega assumiu o controle acionário de 50% do Complexo Solar Pirapora, localizado em Minas Gerais e com capacidade instalada de 329 MW. Em 1º de março de 2019, a Omega assumiu o controle de 100% da Delta 5 Energia S.A. (Delta 5) e Delta 6 Energia S.A. (Delta 6), projetos eólicos localizados no Maranhão que totalizam 108 MW.
Em 2018, a Omega apresentou Ebitda ajustado de R$ 411,6 milhões, conforme calculado pela Fitch. A dívida líquida somava R$ 1,81 bilhão, com índice dívida líquida/Ebitida de 4,4 vezes.