PLD recua e fica no piso em todo o país

Previsão de vazões acima da média em quase todo o país foi o maior driver para a queda dos valores

O preço de liquidação das diferenças recuou em todo o país e ficou estabelecido no patamar mínimo em todos os submercados. De acordo com a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica, o valor está equalizado em R$ 42,35/MWh na primeira semana de junho. Esse valor representa uma redução de 67% nos submercados Sudeste/Centro-Oeste e Sul, onde na semana passada estava em R$ 128,33/MWh.

Segundo comunicado da câmara, a principal responsável pela redução do PLD foi a estimativa de afluências mais otimistas para as próximas semanas. Mais cedo o Operador Nacional do Setor Elétrico apontou em sua reunião mensal para o Programa Mensal de Operação que no Sudeste, Sul e do Norte a previsão de vazões está acima da média histórica.  Em maio as afluências devem fechar em 99% da MLT para o sistema. Para junho de 2019, espera-se afluência de 127% da média considerando o SIN.

Para a próxima semana, a expectativa é que a carga prevista do SIN fique em torno de 280 MW médios mais baixa, com redução esperada principalmente no Sul (370 MW médios) e no Sudeste (175 MW médios). No Nordeste e no Norte, os níveis estão mais altos, 25 MW médios e 240 MW médios, respectivamente.

O nível dos reservatórios do SIN ficou 1.175 MW médios acima do esperado, com redução apenas no Sudeste em 1.350 MW médios. No Norte e no Sul estão mais elevados, em 200 MW médios e 2.325 MW médios, respectivamente. No Nordeste, o nível permanece inalterado.

O fator de ajuste do MRE para o mês de maio de 2019 está estimado em 92,4%, e a previsão para junho é de 70,5%. O ESS previsto para maio de 2019 está em R$ 210 milhões, sendo R$ 89 milhões referentes à restrição operativa e R$ 121 milhões referentes à reserva operativa de potência. Para junho de 2019, a previsão é de R$ 11 milhões, sendo R$ 9 milhões referente às restrições operativas e R$ 2 milhões à reserva operativa.

Confira abaixo os valores do PLD