Engie irá abastecer unidades da L’Oréal Brasil com energia eólica

Complexo eólico no Ceará fornecerá energia limpa para as fábricas, Centros de Distribuição, Centro de Pesquisa e a sede da empresa, evitando a emissão de 7.000 toneladas de CO2 na atmosfera

Alinhada a compromissos de sustentabilidade, a L’Oréal Brasil e a Engie anunciaram uma parceria para o uso de eletricidade proveniente de fontes renováveis em todas as unidades da empresa de comésticos no país. A energia será gerada no Conjunto Eólico da Engie no município de Trairi, no Ceará, servindo para abastecer as fábricas, Centros de Distribuição, o Centro de Pesquisa e a sede da L’Oréal Brasil, o que evitará a emissão de 7.000 toneladas de CO2 na atmosfera, o equivalente ao plantio de mais de 43.000 árvores.

A presidente da L’Oréal Brasil, An Verhulst-Santos, comentou que uma das prioridades da empresa em termos de sustentabilidade é o tema de mudanças climáticas. “A decisão de focar na contratação de energia 100% renovável produzida no parque eólico Trairi tem como objetivo a redução do impacto ambiental das nossas atividades”, destacou. Já o CEO da Engie Brasil, Maurício Bähr, destacou a importância da sustentabilidade na parceria, o que leva ao reconhecimento e motivação aos investimentos e ações em prol dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, numa parceria que se encontra em conformidade com a estratégia global da companhia. “Estamos liderando a transição energética para uma economia de baixo carbono, atuando muito próximos das necessidades energéticas de nossos clientes e promovendo o desenvolvimento harmonioso”, avaliou Bähr.

A iniciativa faz parte do compromisso global de sustentabilidade da L’Oréal Sharing Beauty With All, que vem transformando a companhia de modo a ter um impacto positivo na sociedade e no meio ambiente. O programa estabeleceu metas de desenvolvimento sustentável até 2020, da concepção dos produtos até o consumidor final e tem dois focos no Brasil: cadeia de valor sustentável e promover o Protagonismo social através da beleza. No pilar cadeia de valor sustentável, uma de suas principais missões é alcançar uma operação de baixo carbono, com o objetivo de reduzir a emissão de CO2 até 2020 em 60% em relação a um cenário base de 2005, o qual já foi atingido: a L’Oréal Brasil conseguiu reduzir em 68% as emissões de CO2 de suas unidades industriais, em termos absolutos, no ano de 2018 quando comparado a 2005.

O Conjunto de Trairi, desenvolvido pela Engie, foi um projeto pioneiro de energia eólica e contribui para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU), em especial o de Energia Limpa, mas que também colaborou para a área da saúde e educação de vulneráveis do município, com iniciativas alinhadas ao propósito da empresa de energia de oferecer soluções que aliem energia e atributos socioambientais.

O contrato de compra e venda foi elaborado em conformidade com as diretrizes do Protocolo de GHG (Green House Gas) desenvolvido pelo World Resource Institute e pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), atendendo assim os critérios de neutralidade em emissões de carbono aplicados para o consumo de energia elétrica das empresas.