Consumo de gás industrial sobe 2,5% em abril

Na comparação anual, aumento foi de 0,7% e 4,5% para o GNV. Destaque para crescimento de 2,7%, 7,2% e 11,5% no acumulado do ano para os segmentos industrial, automotivo e comercial

O consumo de gás natural na indústria brasileiro durante o mês de abril movimentou 28,3 milhões de metros cúbicos/dia, volume 2,5% maior em relação a março, quando totalizou 27,6 milhões e de 0,7% na comparação com o mesmo período de 2018, quando a demanda foi de 28,1 milhões de m³/dia. Somados todos os segmentos, o consumo totalizou 52 milhões de m³/dia, retração de 9,9% em relação ao mês de março, quando chegou a 57,7 milhões. No acumulado do ano, o consumo total é estável com a média dos quatro meses iniciais do ano anterior. Já o GNV tem crescimento de 4,5% no consumo na comparação com o mesmo período de 2018. Os números fazem parte de levantamento estatístico da Abegás realizado com concessionárias em todas as regiões do país.

O presidente executivo da Abegás, Augusto Salomon, destacou o crescimento de 2,7% no segmento industrial, 7,2% no automotivo e 11,5% no comercial, levando em consideração o período acumulado do ano. “Os números ficaram estáveis no consumo total em função do menor despacho termelétrico no período”, explicou, mostrando-se otimista com o potencial de crescimento do gás na matriz energética com a adoção de políticas que aumentem a concorrência na oferta e emitam sinais favoráveis para novos investimentos.

“Confiamos na condução segura do Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, para levar o País a um ambiente regulatório que estimule todo o potencial de produção e de consumo do gás natural, criando medidas que respeitem contratos firmados e resguardem a segurança jurídica”, completou Salomon. Em março, o número de clientes que consomem gás natural, entre medidores nas indústrias, comércios, residências e outros pontos de consumo, chegou a 3,5 milhões.

No consumo por setor, o Gás Natural Veicular teve um crescimento de 4,5% na comparação com o mesmo período do ano passado, enquanto que o comercial registrou alta de 12,2%. Já em relação a março houve recuo de 4% no setor Comercial, explicado pela estagnação econômica. Nas residências, houve crescimento de 3,3% em relação ao mês anterior e de 12% na comparação com abril de 2018.

Na geração elétrica, com o menor despacho das térmicas a gás, determinado pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), a retração no consumo termelétrico em abril foi de 36,2% ante os dados de março, enquanto no confronto com abril de 2018 a redução foi de 32%.  A Cogeração acompanhou o segmento industrial, apresentando elevação de 11,9% na comparação com o mês anterior e de 12,2% em relação ao mesmo período do ano passado.

Entre os destaques regionais, os destaques ficaram com a alta de 88,9% no consumo comercial no Norte e de 33,1% e 48,1% no residencial do Sul e Sudeste/Centro-Oeste, além do crescimento de 37,9% no consumo por cogeração.