BNDES aprova R$ 47 mi para cogeração de energia em Minas Gerais

Financiamento vai permitir ampliação da capacidade atual de 12 MW para 35 MW anuais a partir de 2023

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamento de R$ 46,9 milhões para a Central Energética Tupaciguara ampliar sua capacidade de cogeração e exportar energia elétrica produzida a partir do bagaço de cana-de-açúcar. Localizada no município de Tupaciguara, a 50 km de Uberlândia, em Minas Gerais, a Central é uma sociedade de propósito específico (SPE), criada em 2018 pelo Grupo Saci Perplan, que atua no setor sucroenergético.

Os recursos do BNDES representam 76% do custo total do projeto e serão utilizados na aquisição de equipamentos e na realização de obras civis para viabilizar o aumento da capacidade de geração instalada. Serão implantadas subestações de elevação e chaveamento, além de linhas de transmissão que farão a conectividade com a rede da Companhia Energética de Minas Gerais (CEMIG). Tais investimentos são complementares à instalação de uma nova caldeira, adquirida pela empresa em 2018, também com recursos do Banco, que está em execução.

A nova estrutura de cogeração deve entrar em operação a partir da safra 2019-2020, com um aumento gradual da potência instalada de cogeração. A partir de 2023, a geração anual da Central Energética Tupaciguara terá atingido sua capacidade máxima, com um incremento de mais de 190%, passando dos 12 MW atuais para 35 MW. De forma semelhante, a potência anual exportada deverá passar de 5,5 MW para 25 MW.

Durante sua implantação, o projeto deverá gerar 100 empregos diretos, e, uma vez concluído, 53 novos empregos diretos serão criados.