Energia tem maior impacto em habitação no IPCA-15 de junho

Variação ficou em 0,64% no período e índice chegou a 0,06%, acumulando alta de 2,33 % no ano

A alta de 0,64% em energia elétrica foi responsável pelo maior impacto, de 0,02 ponto percentual, no item Habitação na composição do IPCA-15 de junho. O índice variou 0,06% em junho, desacelerando em relação ao registrado em maio, de 0,35%. O IPCA-15 acumula alta de 2,33% no ano e de 3,84% em 12 meses, abaixo dos 4,93% registrados nos 12 meses anteriores. No mês anterior, energia havia tido uma alta de 0,72%.

De acordo com o IBGE, houve a volta da bandeira verde, sem cobrança adicional na conta.  As variações regionais vão desde a queda de 0,58% na região metropolitana do Recife (PE) até a alta de 3,51% na região metropolitana de Belo Horizonte (MG), onde houve reajuste médio de 7,89% nas tarifas, a partir de 28 de maio. Em Recife, apesar do reajuste de 5,56% nas tarifas em 29 de abril, houve redução de PIS/Cofins, o que levou à variação negativa no mês. Outras áreas com reajuste foram Fortaleza, com variação de 2,04% e reajuste de 7,39%, e Salvador, com variação de 1,38% e reajuste médio de 6,21%, ambas a partir de 22 de abril.