MVE negocia 132,55 MW médios em contratos anualizados

Mecanismo foi responsável por comercializar quase 1 GW médio em 2019 e auxiliar na descontratação de sobras de energia das distribuidoras

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) concluiu na última terça-feira, 25 de junho, o terceiro processamento de 2019 do Mecanismo de Venda de Excedentes (MVE). Após a participação recorde dos agentes, que fizeram mais de 1.000 lances de compra e venda de energia, foram negociados 132,55 MW médios em contratos anualizados. As distribuidoras apresentaram 39 lances ao todo, enquanto os compradores fizeram 1.023 ofertas. Pela primeira vez, o mecanismo foi operacionalizado em uma plataforma digital, que tornou o processamento mais dinâmico e de uso mais prático e intuitivo pelos agentes.
Em 2019, o MVE foi responsável pela transação de 993,85 MW médios em contratos anualizados, auxiliando as distribuidoras na comercialização de sobras de energia. Ao mesmo tempo, comercializadoras e consumidores livres adquiriram os montantes a preços que lhe são economicamente vantajosos.
O processamento de junho considerou duas vigências contratuais: três e seis meses. Para os contratos de julho a setembro, foram negociados 38,3 MW médios de energia especial com preço de equilíbrio em R$ 196,55/MWh no Nordeste e R$ 194,55/MWh no Norte. A energia negociada no Sul teve preço do PLD acrescido de R$ 5,18/MWh. Também foram comercializados 110,1 MW médios de energia convencional para o Nordeste e Norte ao preço de equilíbrio de R$ 191,07.
Para o produto com vigência de seis meses, cujos contratos valem de julho a dezembro de 2019, foram negociados 14,9 MW médios de energia convencional no submercado Nordeste ao preço de R$ 191,58/MWh. No caso de energia especial, 173,9 MW médios foram transacionados ao preço do PLD acrescido de R$ 4,16/MWh no Sudeste e R$ 1,25 no Sul. O mecanismo contou com a participação de seis distribuidoras: CEAL, Boa Vista Energia, CEPISA, CELPA, CEB e Copel.