EDP Ventures Brasil e Inseed aplicam R$ 6,5 milhões em startup de Inteligência Artificial

Dom Rock desenvolve aplicações capazes de extrair, consolidar e analisar grandes volumes de dados em diferentes formatos para melhorar a gestão e eficiência operacional das organizações

A EDP Ventures Brasil e o Criatec 3, fundo gerido pela Inseed Investimentos, anunciaram um investimento conjunto de R$ 6,5 milhões para a Dom Rock, startup de tecnologia que desenvolve aplicações capazes de extrair, consolidar e analisar grandes volumes de dados em diferentes formatos para melhorar a gestão e eficiência operacional das organizações.

Para Lívia Brando, gestora executiva de Estratégia, Inovação e Ventures da EDP no Brasil, a participação da startup no programa de aceleração da empresa oportunizou o estreitamento da relação com os empreendedores e o desenvolvimento de projetos conjuntos com diversas aplicações no negócio, o que credenciou a empresa para o aporte financeiro do canal de investimento para capital de risco do Grupo EDP. “A escolha da Dom Rock potencializará o uso de inteligência artificial, analytics e big data no mercado de energia local e global, melhorando a eficiência dos processos e tomada de decisões”, assinalou a gestora.

Já Rosario Cannata, Investment Manager da EDP Ventures Brasil, afirmou que além do investimento direto, a EDP Ventures oferece apoio para a realização de projetos-piloto e internacionalização do negócio, com a abertura a novos mercados. “Queremos investir em tecnologias brasileiras que estejam estrategicamente alinhadas com o Grupo e tenham potencial de crescimento global para atuar nas unidades de negócios da Companhia na América Latina, Estados Unidos e Europa”.

Um dos principais diferenciais da startup escolhida está na capacidade de lidar com uma grande diversidade e volume de dados, que inseridos na jornada de transformação digital das empresas redefinem a forma como os negócios operam. Sua plataforma em nuvem é baseada em big data, tecnologia cognitiva e machine learning. As soluções são adaptáveis a diversos setores do mercado e possibilitam às áreas de negócio lidar com a demanda exponencial de dados dos mais variados tipos, como imagens, vídeos, textos, áudios, tabelas, transações, além de viabilizar análises rápidas, que auxiliam diretamente na tomada de decisão, redução de custos operacionais e ganho de produtividade.

Na avaliação de Andre de Almeida, CEO da Dom Rock, o aporte financeiro aumentará a escala para o atendimento da alta demanda das plataformas de dados inteligentes. “Nossa meta é multiplicar por dez o faturamento da Dom Rock nos próximos cinco anos. O apoio de uma empresa global como a EDP será fundamental para viabilizarmos a nossa solução para todo o mundo”, comentou.

Ecossistema de inovação

A relação entre a EDP e a Dom Rock teve início em 2018, quando a startup foi uma das finalistas do programa de aceleração da EDP e integrou o stand da Companhia no Web Summit, um dos maiores eventos de empreendedorismo e inovação do mundo, realizado em Portugal, onde apresentou suas iniciativas a investidores de toda a Europa. Atualmente, a startup negocia o desenvolvimento de projetos-piloto e contratos de prestação de serviço com as distribuidoras de energia da EDP, com o objetivo de automatizar processos, melhorar a análise de dados e a eficiência operacional.

No Brasil, a EDP apoia o empreendedorismo nacional no setor de energia desde 2015, com iniciativas que auxiliam no desenvolvimento de soluções desde a ideia inicial até o investimento. Os programas de aceleração da EDP, Free Electrons e Starter Acceleration Program, com inscrições abertas para a América Latina, são as principais portas de entrada para aproximação com a Companhia.

Criada em maio de 2018, a EDP Ventures Brasil é o primeiro veículo de investimento do setor elétrico brasileiro a destinar inicialmente R$ 30 milhões a projetos empreendedores em seis verticais: energia renovável, redes inteligentes, armazenamento de energia, inovação digital (blockchain, IoT, big data, realidade virtual), soluções com foco no cliente (fintechs, soluções inteligentes para residências) e áreas transversais (legal tech, ferramentas de RH). Desde 2008, os veículos de Venture Capital do Grupo EDP já aplicaram globalmente mais de 30 milhões de euros em 26 startups, que juntas empregam mais de 750 colaboradores e têm mais de 100 milhões de euros de receita por ano.

A empresa avalia desde startups em fase inicial de desenvolvimento (seed investment) até projetos mais maduros, em fase de escala e tração no mercado (series A), com a possibilidade de coinvestimento com outras corporações ou fundos parceiros. Recentemente, o canal anunciou o seu primeiro investimento no país, no valor de R$ 1,5 milhão, destinado a cearense Delfos, que oferece soluções de inteligência artificial aplicadas à manutenção preditiva de usinas de geração de energia. Além da EDP Ventures Brasil, que atuou como investidora líder, sendo responsável pela maior fatia do capital, o aporte teve participação do BMG Uptech e da Bossa Nova Investimentos.